"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Teatro e Dança

Memórias de Uma Falsificadora

Espetáculo por Horta – Produtos Culturais, São Luiz Teatro MunicipalMuseu do Aljube e Truta (coprodução), no âmbito do 38.º Festival de Teatro do Seixal.

26 Nov   |  21h30

Sociedade Filarmónica Operária Amorense
Rua Sociedade Filarmónica Operária Amorense 2845–469 Amora
Seixal

«Memórias de Uma Falsificadora» é uma evocação da vida de Margarida Tengarrinha, sobretudo o longo período em que viveu na clandestinidade entre 1954 e 1974: o seu trabalho como falsificadora, a mudança constante de casa e de identidade, a morte do companheiro – José Dias Coelho – brutalmente assassinado pela PIDE, a separação das filhas, o isolamento da família e dos amigos.

Numa relação de grande proximidade com o público, recorrendo a artefactos muito simples, uma atriz recria os passos mais importantes do percurso de Margarida e dá voz à perspetiva das mulheres sobre a vida na clandestinidade. Uma vida cheia de privações, mas que, ainda assim, a autora considera uma vida feliz, plena de sentido.

Numa altura em que vários terrores ameaçam a democracia, é urgente lembrar algumas coisas que já aconteceram, mas que não deviam voltar a acontecer, ainda mais depois de Abril de 1974.

Uma oportunidade para recordar a história recente de Portugal e lembrar que a democracia é uma conquista, demasiado preciosa para se perder.

Ficha técnica
Texto: a partir do livro homónimo de Margarida Tengarrinha | Direção e adaptação: Joaquim Horta | Interpretação: Catarina Requeijo | Apoios aos figurinos: Marisa Carboni | Coprodução Horta – produtos culturais, São Luiz Teatro Municipal, Museu do Aljube, Truta.

Classificação etária: M/ 12 anos.
Duração: 60 minutos.
Agenda
Concertos

Gil do Carmo

São Luiz Teatro Municipal 4 Dez   |  20h00

Ver mais eventos
Visitas
62,984,663
>