"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Roteiros

SEVER DO VOUGA (Roteiro 2)

Descobrir Sever do Vouga é percorrer paisagens e tempos deixados nos lugares certos, pela natureza e pelas suas gentes que, através da sabedoria popular e erudita, demarcaram esta região do Médio Vouga.

Praia Fluvial da Quinta do Barco

Este roteiro recairá sobre as freguesias de Paradela do Vouga, Pessegueiro do Vouga e Sever do Vouga. Sugere-se o início no Miradouro da Feira Nova, de onde se pode ter uma perspetiva geral sobre o rio Vouga, a Ponte do Abade e sobre a Praia Fluvial Quinta do Barco até à barragem da Grela. 

É precisamente a praia fluvial Quinta do Barco o nosso próximo ponto de paragem.

Já na freguesia de Paradela do Vouga localiza-se este magnifico local de descanso e lazer que está integrada num conjunto de equipamentos físicos de apoio e de valorizações várias dos espaços naturais, com zonas de lazer, parque infantil, mesas de merenda e zona de balneários. Para além do desfruto da atividade balnear, a praia fluvial destina-se à prática de canoagem e de desportos radicais.

Seguindo a EN 16, a poucos km da Quinta do Barco, no sentido de Albergaria-a-Velha, encontramos aquela que é considerada a ex-libris do concelho – a Ponte do Poço de Santiago.

Ponte do Poço de Santiago
Verdadeira obra monumental, toda ela construída em alvenaria e com 28,5m de altura, constituindo um símbolo de identidade de toda a região. A ponte insere-se num recanto natural verdadeiramente paradisíaco de verdes matisantes das montanhas que desaguam languidamente nas águas do rio Vouga, donde sobressai pela sua imponência, majestosa e sóbria, transmitindo uma imagem ímpar de beleza natural e artística. Vários estudiosos defendem ser esta a mais alta ponte do país construída em pedra. Com 165m de comprimento, é constituída no seu todo por 12 arcos de tamanhos vários. O maior, de forma parabólica, abraça firmemente as margens do rio Vouga, tendo de altura 27ms e de vão (comprimento da base) 53m. O fecho deste arco, o central, apresenta apenas 90cm de espessura. Os restantes 11 arcos partilham da base do arco maior, havendo uma duplicidade de soluções geométricas e de engenharia verdadeiramente arrojadas.


Nela circulava o saudoso comboio do Vale do Vouga, extinto em 1972 e substituído por automotoras. Agora é a circulação viária que assegura as funções que dantes estavam cometidas ao "Vouguinha". A construção da Ponte do Poço de Santiago remonta ao ano de 1913, tendo sido necessários 3 a 4 anos para a sua conclusão e teve como orientador no terreno o engenheiro francês F. Mercier.
A partir deste local, deve-se seguir no sentido de Sever do Vouga, e lá visitar a Igreja Matriz e o Cruzeiro.

Na Igreja Matriz de Sever do Vouga após ter sofrido obras de recuperação e de adaptação pode-se apreciar a arte sacra como forma artística, nomeadamente no seu altar-mor, nos dois retábulos colaterais e no púlpito. Os seus altares doirados apresentam elementos canónicos como flores de acanto, pássaros, pequenos anjos, flores e símbolos relacionados com a Eucaristia a revestir as colunas espiraladas tais como, cachos de uvas e folhas de videira.

A origem arquitetónica dos seus elementos está bem visível no retábulo-mor que é definido lateralmente por colunas pseudo-salomónicas e rematado por um arco de volta perfeita, como no românico. O vazio central que se abre mostra uma estrutura de madeira escalonada, à qual se dá o nome de trono, destinada à exposição do Santíssimo Sacramento.

Cruzeiro de Sever do Vouga, situado junto à Igreja Matriz, é outro dos monumentos que mais granjeia a admiração dos visitantes. Padrão por excelência da Cristandade é composto por uma peça única de granito, aprimorada de feição artística, com 28 palmos de altura e com coluna em forma de espiral. O capitel, com folhas de acarto e volutas, é encimado por grupos de anjos semeados nas quatro faces do corpo prismático, sobre os quais se eleva uma bonita cruz burilada com terminações florais. O seu valor histórico é monumental e inegável.

Em seguida, com destino a freguesia de Silva Escura, vamos poder desfrutar de mais um dos nossos ex-libris: a Cascata da Cabreia.

Resultado das extraordinárias conjugações água/verde e serra/frio, Sever do Vouga oferece-nos certas surpresas paisagísticas merecedoras de contemplação pela beleza indescritível dos seus recantos variáveis com as estações do ano.

Cascata da Cabreira
Indubitavelmente bela e relaxante, a Cascata da Cabreia consegue oferecer ao seu visitante de tudo um pouco: a frescura provocada pela queda de água na bacia fluvial, a vegetação densa e ordenada pela intervenção a que recentemente foi sujeita através de um projeto de recuperação, os recantos convidativos a sentimentos mais intimistas, as mesas e bancos de apoio vindos ao encontro de quem quer associar ao descanso o gosto gastronómico.

Continuando nas paisagens naturais desta freguesia, o Miradouro da N. Senhora da Pena, será o próximo ponto de paragem obrigatória. Aí, podemos desfrutar mais uma vez de uma paisagem calma e verdejante da vegetação a contrastar com o elemento água abundante na zona lagunar de Aveiro que daqui se pode avistar em dias de perfeita visibilidade. 

 

Agenda
Ver mais eventos
Visitas
51,118,533
>