"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Publicações

Dicionário de Erros Falsos e Mitos do Português

Já foi corrigido no seu dia-a-dia por dizer «queria um copo de água»? A resposta «Ai queria? Então já não quer?» causa-lhe irritação, mas não sabe como defender o seu ponto de vista? No Dicionário de Erros Falsos e Mitos do Português, o professor Marco Neves tem a resposta para a esta e muitas outras inquietações.


Não se deixe confundir pelo título: este é um dicionário diferente. Um dicionário que homenageia a língua portuguesa tal como ela é. Para Marco Neves, professor universitário, tradutor e autor, a defesa da flexibilidade do português é urgente. Esta obra foi pensada após centenas de dúvidas e discussões linguísticas que travou e observou no seu blogue Certas Palavras. Derrubem-se os tabus e mitos, contrariem-se os puristas compulsivos, deixemos a língua em paz.

São muitos aqueles que gostam de nos apontar erros falsos. Sim, porque o empregado de mesa não é o único que o corrige quando utiliza o pretérito imperfeito para demonstrar cortesia. Da próxima vez que alguém disser que «fazer a barba», «deslargar», «sorriso nos labios», «tirar impressões» e «mais pequeno», é errado, tenha neste livro um aliado. Leve-o consigo na mochila, no porta-luvas ou para o local de trabalho e defenda-se.

Este é o quinto livro que o autor lança pela Guerra e Paz, Editores, antecedido por Doze Segredos da Língua Portuguesa, A Incrível História Secreta da Língua Portuguesa, A Baleia que Engoliu Um Espanhol (romance) e José Cardoso Pires e o Leitor Desassossegado (ensaio literário).

Sinopse
Depois de fazer a barba, com um sorriso nos lábios, passe no café e peça: «Queria um copo de água.» Pelos vistos, não há nada de mal nisso.
Há muitas expressões que usamos no nosso dia-a-dia e que várias vezes ouvimos dizer que estão erradas. Estarão mesmo? Será que posso dizer «amigo meu», «beijinhos grandes», «fazer a barba», «bichocarpinteiro», «mal e porcamente», «copo de água», «saudades tuas»? Marco Neves defende que sim! Este é um dicionário diferente – ao mesmo tempo útil e divertido, é uma homenagem à língua portuguesa, tal como ela existe nas mãos de quem escreve e nos lábios de quem fala. O autor ataca tabus, desmonta mitos e defende com unhas e dentes a riqueza da língua em toda a sua variedade social. Eis um livro para todas as mentes curiosas que gostam de olhar com prazer e atenção para a língua que falam. Tenha-o sempre à mão e esclareça dúvidas sobre o uso de certas expressões e as situações em que são ou não adequadas. Livre-se de preconceitos e defenda a nossa língua!

Biografia do autor


Marco Neves nasceu em Peniche e vive em Lisboa. Tem sete ofícios, todos virados para as línguas: tradutor, revisor, professor, leitor, conversador e autor. Não são sete? Falta este: é também pai, com o ofício de contar histórias. É professor na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e director do escritório de Lisboa da Eurologos. Escreve regularmente no blogue Certas Palavras. Já publicou os livros Doze Segredos da Língua Portuguesa, A Incrível História Secreta da Língua Portuguesa, A Baleia que Engoliu Um Espanhol (romance) e José Cardoso Pires e o Leitor Desassossegado (ensaio literário). Regressa agora às dúvidas e curiosidades da língua com Dicionário de Erros Falsos e Mitos do Português.  

Dicionário de Erros Falsos e Mitos do Português
Marco Neves
Não Ficção / Língua Portuguesa
232 páginas · 15x23 · 14,90€
Nas livrarias a 20 de novembro
Guerra e Paz, Editores

Visitas
52,990,271
>