"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Publicações

A rapariga que veio do frio para surpreender os fãs de policiais

Tráfico de mulheres, violência, abuso sexual e assassinato são os ingredientes que dão corpo à estreia de Gilberto Pinto na escrita de policiais. 


A violência sobre mulheres é um dos temas que marcam a atualidade noticiosa e a história de A rapariga que veio do frio, policial de Gilberto Pinto que chega às livrarias, com o selo da Coolbooks.

É com um ritmo acelerado e em permanente suspense que o autor apresenta as vidas de Aníbal e Leonardo. Protagonistas da mesma história, ambos são dados a conhecer em duas linhas narrativas, distintas no tempo e no espaço, que se encontram para revelar a verdade sobre uma rede de tráfico de mulheres oriundas do leste da Europa para exploração sexual e a morte de uma jovem encontrada nua e abraçada a um violino.

No Porto dos nossos dias, o leitor é convidado a acompanhar Leonardo, um jornalista cansado e frustrado que se encontra envolvido na investigação de um estranho assassinato de uma mulher ocorrido na cidade. Este acontecimento bizarro parece estar associado à morte de homens ligados ao tráfico de mulheres e a investigação conduz o jornalista até Belmonte, uma aldeia no Douro e sua terra natal.

Na mesma aldeia de Belmonte, é Aníbal quem narra a sua história, que se estende desde a década de 60 do século passado até à atualidade. Caseiro da Quinta das Garças, o seu percurso é profundamente marcado pelas incidências – violência, morte, mentira e tragédia – que pautam o passado e o presente dos proprietários desta herdade duriense.

Com um estilo intenso e elegante, capaz de prender o leitor ao longo das quase quatrocentas páginas, A rapariga que veio do frio promete agradar aos fãs de policiais, mas também aos que preferem um romance denso e sombrio.

SOBRE O LIVRO

A rapariga que veio do frio
Cidade do Porto. Eleva-se para cinco o número de homens ligados ao tráfico de mulheres degolados nos últimos meses. Paulo Torres é o jornalista do Tribuna que tem vindo a acompanhar os crimes. Em grafitis espalhados pela cidade, alguém procura uma rapariga com uma cruz ao pescoço e um violino nas mãos.

Numa manhã de dezembro, Leonardo Pedra acorda e não consegue lembrar-se do que fez na noite anterior. Uma misteriosa mensagem de Paulo Torres mostra-lhe um vulto encapuzado. Por detrás dele, está o corpo de uma mulher com um violino nos braços e, a poucos metros de distância, o seu velho Mercedes.

Mergulhado numa imensa teia que não para de o sufocar, Leonardo vê-se a regressar ao lugar onde cresceu para enfrentar os fantasmas do passado, desconhecendo que ali perto, no Talhão Velho da Quinta das Garças, propriedade de Filipe Carvalho, se esconde há muito tempo um terrível segredo. 

SOBRE O AUTOR

Gilberto Pinto


Natural de Carrazeda de Ansiães, Gilberto Pinto é professor e investigador no Instituto Superior de Engenharia do Porto. Autor de diversas publicações científicas, editou o seu primeiro romance, Como Sombras no Muro, em 2004. Seguiu-se A Casa da Prelada, em 2005 e O Vendedor de Ilusões, em 2009. A rapariga que veio do frio é o seu primeiro romance policial. 

Agenda
Ver mais eventos
Visitas
52,258,763
>