"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Publicações

O Madeirense: Quatro décadas de encontros e sabores

Manuel Fernandes, um dos maiores «embaixadores» da ilha da Madeira em Lisboa, celebra os 40 anos do seu restaurante O Madeirense, com um livro que reúne os melhores momentos passados naquele espaço emblemático da capital portuguesa. 


Tudo começou quando Manuel Fernandes, um jovem madeirense de origens humildes, rumou ao continente para realizar um sonho: abrir um restaurante que transportasse os lisboetas para os saberes e sabores da pérola do Atlântico. Quarenta anos depois O Madeirense superou todas as expectativas do seu fundador, pois, mais do que um restaurante típico da região insular, tornou-se um local de culto para personalidades marcantes da sociedade portuguesa da política, do desporto, das artes e dos media

Da Calçada da Palma de Baixo, O Madeirense mudou-se mais tarde, em 1985, para o Amoreiras Shopping Center, local onde, até aos dias de hoje, se mantém a casa mãe da marca entretanto expandida. 

Se a canção diz que uma década é muito tempo, então quatro é uma vida. Como tal, Manuel e a sua mulher, Paula, decidiram comemorar uma vida de encontros e sabores com a edição de um livro biográfico, no qual expusessem os melhores momentos daquele que é o projeto das suas vidas. Para escrever as memórias, ditadas nas mesas d’O Madeirense, convidaram um dos seus grandes amigos, o jornalista e escritor Fernando Correia.

Para além do exímio talento de Fernando Correia, autor dos textos e da organização, o livro conta ainda com testemunhos do ex-presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jar­dim, do locutor e cantor António Sala, do ex-vice-presidente da Assembleia da República Guilherme Silva, do produtor Manolo Bello e de muitos outros clientes que se tornaram grandes amigos de Manuel e Paula Fernandes. 

O livro chega às livrarias de todo o país numa edição de excelência, repleta de fotografias de alguns dos melhores momentos passados naquele restaurante. O livro poderá ainda ser adquirido através do site da Guerra e Paz, Editores.

Sinopse
Foi há 40 anos que Manuel Fernandes e a sua mulher, Paula, concretizaram o sonho de abrir um restaurante dedicado à ilha da Madeira em Lisboa, nessa altura na Calçada da Palma de Baixo: O Madeirense. A par da sua excecional gastronomia tradicional, transformaram o seu espaço de restauração num verdadeiro cantinho madeirense em plena capital, pelo ambiente, a decoração, os trajes típicos, as flores. Seguiram-se outros restaurantes O Madeirense, com destaque para o do centro comercial das Amoreiras, inaugurado em 1985, e, mais recentemente, um espaço na própria ilha da Madeira. São 40 anos de muitas histórias, sabores, conversas e amizades, de um homem que, ainda jovem imberbe, deixou Canhas, na Madeira, para cumprir o seu destino na capital. O livro, com a escrita admirável de Fernando Correia, inclui ainda os testemunhos de Alberto João Jardim, António Sala e muitos outros clientes que se tornaram, também, grandes amigos.

Biografia do autor


Fernando Correia. Jornalista, comentador de rádio e televisão, professor, nasceu em 1935 e dividiu a sua infância entre a Mouraria, o Alto de Santo Amaro e São Domingos de Benfica. Entrou para a Emissora Nacional em 1958. Trabalhou depois na RDP, Rádio Clube Português, Rádio Comercial e TSF. Foi director do Diário Desportivo, redator e colaborador dos jornais Record, A Capital, O Diário, Gazeta dos Desportos, Jornal de Notícias e Diário Popular. Actualmente, colabora na Rádio Amália e é comentador residente da TVI. Sportinguista assumido, colabora também com a Sporting TV, depois de ter sido diretor-adjunto e director do jornal do clube.

É casado, pai de cinco filhos e avô de dez netos. Nascido num dia quente de Verão, é caranguejo de signo. Na Guerra e Paz, publicou os livros Piso 3 – Quarto 313, O Homem que Não Tinha Idade, Moniz Pereira: Vida e Obra do Senhor Atletismo, E Se Eu Fosse Deus? O que Eu Sei de Mim e São Lágrimas, Senhor, São Lágrimas.

Visitas
51,035,114
>