"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Notícias

Academia Nacional de Belas Artes promove Curso Livre de Desenho

O curso será ministrado pelo Prof. Escultor António Pedro Ferreira Marques, (Docente universitário).


O Desenho aspira, originalmente, à condição aspectual inovadora, como arte e como disciplina do olhar e da forma. Este curso destina-se a despertar o desejo de atingir essa condição, através do conhecimento teórico-prático e do desenvolvimento da experiência gráfica, num quadro diversificado de tendências e modos operativos.

O Curso que agora se inicia assenta numa linha de orientação pedagógica da Academia que valoriza a qualidade do desempenho, no plano da correção técnica, sem prejuízo do carácter subjetivo da expressão gráfica individual.

Pretende-se, assim, promover um processo de educação estético-visual que respeita as diferenças de atitude e de comportamento, tendo em conta a natureza das competências vocacionais técnicas e artísticas de cada aluno.

Ancorado nas relações de FORMA, IDEIA e CONTEÚDO, o curso permite criar novas competências, numa perspetiva dialógica, que cruza o conhecimento dos formulários da representação com a originalidade da conceção e da expressão criativa. Aponta, assim, para um processo de ensino-aprendizagem em que a “ciência” do desenho e a abertura poética da experiência artística contribuem para a formação integral do aluno e para o desenvolvimento de uma atitude crítica, perante as correntes sociais, estéticas e culturais do passado e do presente. 

I
Conceitos de desenho: pares conceptuais (analógico/digital; autónomo/integrado; artístico/científico; sensível/diagramático; descritivo/inventivo).
Desenhos e desenhadores, da Antiguidade aos nossos dias (Registos Parietais; Ostraka e Papiros; Lécitos Atenienses; Roma, Herculano e Pompeia, Adhémar de Chabannes, Hildegarda de Bingen, Villard de Honnecourt, Pisanello, Jacopo Bellini; Leonardo, Rafael, Pontormo, Dürer, Anibale Carracci, Poussin, Claude Lorrain. Rubens, Rembrandt, Canaletto, Guardi, Watteau, Boucher, Fragonard, Goya, Prud’hon, Ingres, Delacroix, Daumier, Toulouse-Lautrec, Picasso, Escher, R Kitaj, D Hockney, Claudio Bravo.
Desenho e Desenhadores, em Portugal. Do Renascimento à Atualidade: Francisco d’Holanda, Vieira Lusitano, Vieira Portuense, Domingos António Sequeira, Pousão, Almada, Abel Manta, Luís Filipe Abreu, Lima Carvalho.

II
Métodos e técnicas materiais de desenho
:
1) Método da cópia; método Geométrico; método do borrão; método epistolar; método Natural, método da lateralidade.
2) Técnicas secas, líquidas e mistas (monocromia; bicromia; policromia).
Técnicas conceptuaisBlock-in, enquadramento, escala, proporção, ritmo, peso, equilíbrio. Contraste. Perspetiva visual. Escorço. 
Técnicas procedimentaisDouble-line, stippling, blending, hatching, crosshatching.
Materiais de suporte (técnicas secas; técnicas líquidas).
Instrumentos gráficos (técnicas secas; técnicas líquidas).

III
Disposições operativas procedimentais
: posição do suporte, postura do desenhador, manuseamento dos instrumentos.
Elementos morfológicos: ponto, linha, superfície, valores lumínicos, padrões e texturas.
TemáticaFigura Humana (estrutura e movimento; estereometria, anatomia, antropometria, teoria das proporções), Retrato (anatomia; cefalometria; grande e pequeno rosto; frente, perfil, três-quartos), Paisagem Natural e Paisagem Urbana (linha do horizonte, ponto de vista, visão serial, luz, seleção e interpretação dos motivos), Natureza-morta (ponto de vista, forma, espaço, luz natural, luz artificial), Animais (estrutura básica, movimento repetitivo, registos simultâneos), Plantas (ponto de vista, forma global e pormenor, luz, simplificação, acentuação, tradução gráfica).
Composição (ensaios compositivos, variação de escala, transfiguração)

Bibliografia 
CLIMENT, C. P., LANCE, M. M. (2007). Las proporciones humanas y los cánones artísticos. Editorial UPV, Valencia.
COUSIN, J. (1595). L’Art de Dessiner. ParisDavid Leclerc.
COZENS, A. (1785). A New Method of Assisting the Invention in Drawing Original Compositions of Landscape. London.
CURTIS, B. (2015). Desenho de Observação. Porto Alegre: AMGH.
D’ENFERT, R. (2003). L’Enseignement du dessin en France. Paris: Éd. Belin.
EDWARDS, B. (1999). Drawing on the right side of the brain; a course in enhancing creativity and artistic confidence. New York: Tarcher/Putman.
GOLDSTEIN, N. (1999). The Art of responsive drawing. New Jersey: Prentice-Hall.
HALE, R. B. (1989). Drawing Lessons from the Great Masters. New York: Watson Gupil.
HOLANDA, Francisco de, [1548] (1983). Da Pintura Antiga. (introdução e notas de Angel Garcia), Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda.
HUTTER, H. (1968). Drawing. History and Technique. London: Thames & Hudson.
ITTEN, J. (1977). Le Dessin et la forme. Paris: Dessain et Tolra.
LAIRESSE, G. (1687). Princípios do Desenho. Paris.
LEYMARIE, J., MONNIER, G., ROSE, B., (1970). Le Dessin, Histoire d’un Art. Genéve: Skira
LHOTE, A. (1979). Traités du paysage et de la figure. Bernard Grasset Editeur, Paris.
MARQUES, A. P. (2009). Blotting, Bluffing Nature in Arte e Natureza (Coord. José Quaresma). Lisboa: FBAUL.
MARQUES, A. P. (coord.), (2012). Desenhar, Saber Desenhar. Lisboa: FBAUL.
MAUGHAN, W. (2004). The Artist’s Complete Guide to Drawing the Head. New York: Watson-Guptill Publications.
MAYNARD, P. (2005). Drawing distinctions, the varieties of graphic expression. Cornell University Press.
MOLINA, J. G. (coord.), (1999). Estratégias del Dibujo en el Arte Contemporâneo, Madrid: Cátedra.
MOLINA, J. G., CABEZAS, L., BORDES, J., (2001). El Manual de Dibujo: Estratégias de su Enseñanza en el siglo XX. Madrid: Ediciones Cátedra.
MOLINA, J. G. (2005). Los nombres del dibujo, Madrid: Cátedra.
MOSSI, A. F. (1999). El Dibujo. Enseñanza Aprendizaje. Editorial UPV, Valencia.
NICOLAIDES, K. (1969). The Natural Way to Draw. Boston: Houghton Mifflin Company.
PIGNATTI, T. (1982). Le Dessin dans l’histoire de l’art. Paris: Celiv.
RICHER, P. (1996). Traité d’anatomie artistique. Bibliothèque de l’Image.
RUDEL, J. (1992). La technique du dessin. Presses Universitaires de France.
RUSKIN, J. (1991). The Elements of Drawing in Tree Letters to Beginners. London: The Herbert Press.
RYDER, A. (2000). The Artist’s Complete Guide to Figure Drawing. New York: Watson-Guptill Publications.

Informações
Inscrições
: até 15 de janeiro 2020

Calendário do Curso: fevereiro: 8, 15, 22, 29; março: 7, 14, 21, 28; abril: 4, 18; maio: 2, 9, 16, 23 e 30; junho: 6, 20, 27; julho: 4, 11, 18, 25.

Condições de acesso:
Idade mínima: 18 anos.
Habilitações literárias mínimas: 12º ano de escolaridade.
Entrevista e portefólio a realizar entre 18 a 25 de janeiro.

Creditação da formação: 3 ECTS. Estão a decorrer contactos para a obtenção de acreditação da Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior

Avaliação: inicial, média e final.

Parâmetros de avaliação: conhecimento, procedimento, atitude, interesse, assiduidade.

Número de vagas: máx. 20 alunos; mín. 15 alunos

Duração do curso: 1 semestre (As aulas terão início no dia 8 de fevereiro de 2020 e terminam a 25 de julho de 2020).

Horário semanal: das 10h-13h aos sábados

Inscrição: 90 €; o pagamento da inscrição só será efetuado em caso de admissão ao curso.

Mensalidade: 90 € por mês; pagamento até ao dia 8 de cada mês, por transferência bancária (NIB Academia Nacional de Belas Artes, cheque ou numerário)

Materiais do curso: serão adquiridos pelos alunos e a seu encargo (exceto cavaletes), e serão definidos na primeira aula (prancheta, bloco A2 e A4, grafite, carvão, sanguínea, borracha).

Contactos (inscrições e informações): Pedro Gaurim Fernandes: (Técnico Superior ANBA) Largo da Academia Nacional de Belas Artes, 1200-005, Lisboa
pedrogaurim@academiabelasartes.pt; telemóvel: 967 920 691  

Visitas
50,741,555
>