"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Notícias

Autoria, reinvenção, originalidade e diversidade convertem Guimarães em cidade da música

M. Ward, Bruno Pernadas e Moullinex, Camané & Mário Laginha, Afonso Cabral e Matt Elliott atuam nos próximos meses nos palcos do CCVF e do CIAJG, em Guimarães.

Matt Elliott

Depois do talento e irreverência passarem pelo palco maior do Centro Cultural Vila Flor (CCVF) com os Capitão Fausto a fazerem frente a uma plateia esgotada, a música prossegue o seu natural e inspirado(r) caminho em Guimarães nas próximas semanas (e meses) com M. Ward, Bruno Pernadas e Moullinex, Camané & Mário Laginha, Afonso Cabral e Matt Elliott. A autoria, originalidade e reinvenção dos formatos tradicionais, comandam o mapeamento da programação da música para os primeiros quatro meses de 2020, a ser apresentada em diferentes espaços e contextos ao longo deste ano. A diversidade dos estilos e a capacidade de comunicar com os diferentes públicos tem nesta linguagem universal uma força que converte Guimarães em cidade da música. Entre o nível internacional, nacional e emergente constrói-se assim uma grande viagem para dialogar, de forma complementar, com o ecossistema musical já existente na região. A informação respeitante e os respetivos bilhetes encontram-se disponíveis em www.aoficina.pt.

Os Capitão Fausto abriram o trilho musical de 2020 no CCVF perante um auditório esgotado para apresentar A Invenção do Dia Claro, o quarto álbum de originais desta banda portuguesa que renasce a cada disco. Já este sábado (1 fevereiro) às 21h30, na Black Box do Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG), chega o momento para o público conhecer Migration Stories, o novo trabalho a solo de M. Ward, artista californiano que aqui antecipa ao vivo a sua mais recente incursão artística. O prolífico músico e produtor Matthew Stephen Ward, artisticamente reconhecido como M. Ward, é considerado uma das vozes mais versáteis da música americana moderna e apesar de projetos em parceria, onde se poderá destacar o duo que completa com a atriz Zoey Deschanell em She & Him, será em nome próprio que melhor transmite as suas reflexões sobre algumas das inquietações da atualidade. Numa colec?a?o de 11 meditac?o?es sobre a migrac?a?o humana, Ward utiliza o seu leque de profundos poderes enquanto artista, num disco ousado repleto de paisagens sonoras transportadoras. Os bilhetes para este concerto têm o custo de 7,5 euros ou 5 euros com desconto. 

A 7 de março (23h00), Bruno Pernadas e Moullinex surgem também no CIAJG com Plantasia, um disco de culto escrito para plantas e para pessoas que as amam, composto em 1976 pelo pioneiro da música eletrónica Mort Garson, num concerto (com entrada livre) integrado no conjunto de atividades do primeiro momento de programação Museu do Futuro. Mais do que uma ode a estes seres vivos e aos fascínios do processo de fotossíntese, Plantasia é a epítome da beleza dos sintetizadores, capturada na paisagem sonora criada pelo uso pioneiro do sintetizador Moog. Tal como o compositor Mort Garson, este pedaço de história musical passou a ocupar um lugar fundamental na cultura da música experimental da década de 70, com repercussões óbvias na música eletrónica de hoje. No final de 2019, a propósito da reedição da Sacred Bones, Bruno Pernadas e Moullinex decidiram revisitar em conjunto o mundo fantástico de Plantasia. Para os dois músicos e compositores, uma coisa é certa: Plantasia é um disco inigualável cheio de lugares que ainda estão por descobrir. E é essa mesma viagem que se comprometem a fazer no CIAJG, acompanhados por Diogo Sousa (bateria), Guilherme Salgueiro (teclados) e Diogo Duque (trompete). O que vai acontecer promete ficar para história: uma reinterpretação-homenagem sem igual de um disco ao qual não foi dada a atenção devida. 

Uma semana depois, a 14 de março (21h30), o Centro Cultural Vila Flor junta no palco do seu Grande Auditório dois pesos pesados do universo musical português – Camané e Mário Laginha – para aí apresentarem o seu novo trabalho conjunto. Camané e Mário não são de todo estranhos. Já deram vários concertos juntos e, do excelente entendimento sentido nessas colaborações esporádicas, resultou agora o inevitável aprofundamento dessa simbiose. Aqui Está-se Sossegado é um novo projeto pensado para dar mais brilho a uma voz e a um piano que se descobriram cúmplices desde a primeira vez que encheram um palco. O concerto contará com cerca de duas dezenas de temas saídos do cânone fadista tradicional do repertório de Camané e incluirá, também, inéditos compostos por Mário Laginha, que musicou já um poema de Álvaro de Campos, Ai Margarida, que integra um dos últimos discos de Camané. É possível assistir à passagem destes artistas por Guimarães pelo valor de 10 euros ou 7,5 euros com desconto. 

A 20 de março (23h00), é chegada a vez de Afonso Cabral visitar o CCVF para pisar o palco do seu Café Concerto. Mais conhecido pelo seu trabalho enquanto vocalista dos You Can’t Win, Charlie Brown, Afonso Cabral revelou, em 2019, o seu primeiro álbum em nome próprio. Morada é um ‘disco de belíssimas canções que não têm medo de crescer, criando um curioso mundo quase paradoxal de canções íntimas e solitárias pejadas de ideias e de gente’, como referido pela crítica especializada. O idioma é agora o português, tendo-lhe tomado o gosto depois de ter escrito Perto para o disco de Cristina Branco. Morada mantém-se num registo pop elegante, confirmando Afonso Cabral como um dos mais seguros valores da música nacional. A entrada no Café Concerto para assistir a este concerto tem o custo de 5 euros ou 3,5 euros com desconto. 

Dando uma passada até ao mês seguinte, o guitarrista e cantautor inglês Matt Elliott chegará ao mesmo palco a 3 de abril (23h00). Depois de anos de profícua exploração das eletrónicas efervescentes dos Third Eye Foundation, Matt Elliott tem vindo a criar, a solo, alguma da mais bela música dos nossos tempos. Quatro anos depois do seu último trabalho, The Calm Before, regressa com novos temas que serão editados em fevereiro deste ano no disco Farewell to all we know, projeto a apresentar neste concerto no Centro Cultural Vila Flor. Os bilhetes para este espetáculo têm igualmente o valor de 5 euros ou 3,5 euros com desconto. 

A força da música vibra nestes palcos vimaranenses. Foi assim no último fim de semana com Tomás Wallenstein, Salvador Seabra, Manuel Palha, Francisco Ferreira e Domingos Coimbra (Capitão Fausto). Será, de seguida, com M. Ward, Bruno Pernadas e Moullinex, Camané & Mário Laginha, Afonso Cabral e Matt Elliott. E a 7ª edição do Westway LAB (15 a 18 abril) está a caminho para verter nas artérias da cidade toda a sua energia criativa, fruto de um desassossego constante e irreverente que ano após ano traz a Europa e o mundo a Guimarães com momentos de criação musical, conferências e concertos. A programação completa deste primeiro quadrimestre de 2020, bem como os respetivos bilhetes, está disponível online em www.aoficina.pt. Os ingressos para os espetáculos podem igualmente ser adquiridos nas bilheteiras do Centro Cultural Vila Flor (CCVF), Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG), Casa da Memória de Guimarães (CDMG), Loja Oficina (LO) e ainda nas lojas Fnac.
Visitas
50,741,682
>