"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Notícias

Pato Lógico na corrida ao prémio de melhor editora europeia da Feira do Livro Infantil de Bolonha


Edição 2020 da conceituada feira foi reduzida a uma plataforma online, mas não deixará de atribuir os galardões criados em 2013.

A editora portuguesa Pato Lógico está nomeada para o prémio de melhor editora europeia, revelou esta terça-feira a Feira do Livro Infantil de Bolonha, em Itália.

Apesar de ter cancelado a edição deste ano, por causa da pandemia da covid-19, a organização da feira decidiu manter algumas iniciativas, que poderão decorrer online, pondo em contacto centenas de editores, autores e ilustradores de todo o mundo. Uma delas é a manutenção dos prémios criados para reconhecer projetos editoriais de livro ilustrado e para a infância e juventude, em diferentes áreas geográficas.

Este ano, e além da portuguesa Pato Lógico, estão nomeadas ao prémio de melhor editora europeia, a Camelozampa (Itália), a Éditions Mijade (Bélgica), a Liels un Mazs (Letónia) e a Samokat Publishing House (Rússia).

A Pato Lógico, que volta a estar indicada para este prémio depois de uma primeira nomeação em 2016, celebra em maio uma década.

Foi fundada pelo autor e ilustrador André Letria e tem atualmente um catálogo com cerca de meia centena de livros em vários formatos (livro ilustrado, harmónios, mapas), coleções, de autores portugueses e estrangeiros, e alguns em parceria com a Imprensa Nacional Casa da Moeda.

João Fazenda, Catarina Sobral, André da Loba, António Jorge Gonçalves, Afonso Cruz, José Jorge Letria, Susa Monteiro, André Carrilho, Manuel Marsol e Carolina Celas são alguns dos autores e ilustradores que já publicaram pela Pato Lógico.

O prémio da Feira de Bolonha não é monetário, mas os vencedores são escolhidos entre pares, por outras editoras, o que lhes confere reconhecimento internacional na área da literatura e da ilustração para os mais novos.

Em 2013, na primeira edição, o prémio da Europa foi atribuído à editora portuguesa Planeta Tangerina. Em 2019 foi atribuído à Orfeu Negro.

Além da atribuição dos prémios para editoras, a Feira do Livro de Bolonha irá ainda promover, a partir de 4 de maio numa plataforma digital, as reuniões de negócios editoriais que estavam previstas para a edição deste ano. A plataforma estará acessível apenas para editores que estiveram presentes na edição de 2019 e para os que se inscreveram no evento deste ano.


por Lusa e Público | 14 de abril de 2020
notícia no âmbito da parceria Centro Nacional de Cultura | Jornal Público

Agenda
Ver mais eventos
Visitas
52,260,394
>