"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Publicações

"Inferno" é a estreia de Pedro Eiras na poesia

Considerando a bibliografia rica de Pedro Eiras, dispersa por ficção, contos, ensaios e teatro, dizer que Inferno é a sua estreia na poesia poderá fazer franzir alguns sobrolhos.


É verdade que o seu livro 
Arrastar Tinta, publicado em 2008 pela Deriva Editores, é considerado por muitos um livro de poesia, mas para o autor esse livro é literalmente um «catálogo de pintura». É verdade que algum do seu teatro é escrito em verso, mas não deixa de ser teatro. Inferno é o primeiro volume de um tríptico que muito literalmente visita a obra de Dante Alighieri, e que continuará com Purgatório Paraíso. Com uma abordagem muito particular para cada um destes livros, em Inferno podemos encontrar uma escatologia dos tempos modernos, uma visita às almas danadas de hoje através de um prisma eminentemente sociológico que reflete e nos faz refletir intensamente sobre a sociedade contemporânea, sem nunca perder de vista a empatia com o outro. Que este livro seja publicado no contexto que todos conhecemos, é um mero acaso.

O livro estará disponível nas livrarias a 9 de junho.

A 23 de junho, a partir das 19h00, decorre o lançamento online da obra, no Facebook da Assírio & Alvim, num live streaming protagonizado pelo autor em conversa com o poeta e ensaísta Luís Quintais e com o seu editor, Vasco David.

SOBRE O LIVRO

É mais que improvável
mas, se depois desta vida houver
um campo de espera, uma alfândega
das culpas,

que estes ao menos sejam poupados,
e os seus nomes não constem no livro
dos castigos, com o mesmo
vazio para todos no fim,

ou, se o nome constar,
que seja zero o saldo
do deve e do haver,
pois não merece dor na morte quem já carregou

toda a vida o inferno no sangue.


Título: Inferno
Autor: Pedro Eiras
N.º de Páginas: 120
PVP: 14,40 €
Coleção: poesia inédita portuguesa

Ver primeiras páginas

SOBRE O AUTOR

Pedro Eiras
Nasceu no Porto em 1975. Desde 2001, publicou obras de ficção (Bach, Cartas Reencontradas de Fernando Pessoa a Mário de Sá-Carneiro, A Cura), teatro (Um Forte Cheiro a Maçã, Uma Carta a Cassandra, Um Punhado de Terra, Bela Dona) e ensaio (Esquecer Fausto, Tentações, Os Ícones de Andrei, Constelações, Platão no Rolls-Royce).
Publicou vários livros em França, na Roménia, no Brasil. As suas peças de teatro foram encenadas e lidas em dez países. É Professor de Literatura Portuguesa na Faculdade de Letras da Universidade do Porto.
Agenda
Ver mais eventos
Visitas
53,086,650
>