"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Publicações

Como um dos livros mais antigos da humanidade nos ajuda a entender o presente

Estamos a experienciar uma vida cada vez mais rápida. A ciência e a tecnologia trazem enormes benefícios, mas aceleram também imensamente o ritmo de vida.


Temos de lidar a todo o momento com uma quantidade incrível de informação. Sentimos cada vez mais pressão no trabalho e na nossa vida social e familiar.

Em termos biológicos, é cada vez maior a percentagem de células que sofre mutações, evoluindo para cancro, o que resulta também do aumento do consumo de produtos nocivos, como açúcar, álcool, drogas e medicação, que ingerimos numa tentativa, por vezes, desesperada de equilíbrio. Somos mais vulneráveis a infeções por uma quantidade infinda de microorganismos vindos do exterior e que são cada vez mais difíceis de combater com antibióticos.

No meio ambiente, estamos mais sujeitos a diversos tipos de radiação. Mais de um milhão de espécies estão ameaçadas pela poluição e intervenção humana nos seus habitats naturais. Estamos perante uma crise de extinção. Precisamos urgentemente de equilibrar desenvolvimento material, dominante no pensamento ocidental, com desenvolvimento espiritual, predominante no pensamento oriental.

I Ching é um livro milenar, um dos mais antigos do mundo, sendo considerado a base de toda a filosofia oriental. O Grande Livro do I Ching é a obra mais completa sobre o tema escrita em português. Estudá-lo é tentar entender a vida.

SOBRE O AUTOR

João Borges, doutorado em Hidráulica, iniciou o estudo do I Ching e da filosofia oriental de forma autodidata, em 1981, tendo -se formado, em 1989, pelo Instituto Macrobiótico Internacional na Suíça. Pioneiro do Feng Shui em Portugal, fundou, em 1997, a Escola Nacional de Feng Shui, instituição que é hoje uma referência na Europa. Tem estudado ininterruptamente, em especial na Ásia, com os melhores mestres do mundo, nas diferentes áreas da metafísica. Para além do I Ching, do Feng Shui e da Macrobiótica, dedica-se também à Astrologia Chinesa e ao Qi Men Dun Jia, um dos principais sistemas da metafísica chinesa. Residente em Inglaterra durante quase três décadas, foi diretor da One World Health Foundation até ao ano de 2017. É, atualmente, presidente da Associação Portuguesa de Feng Shui, diretor da Escola Nacional de Feng Shui, membro do executivo da Feng Shui Society em Londres e codiretor do Festival One World. Saiba mais em www.escolafengshui.com.

Visitas
51,988,478
>