"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Publicações

Assírio & Alvim publica sétimo "Livro de Horas" de Maria Gabriela Llansol

Trata-se de uma obra singular ao reunir um número significativo de sonhos que foram ganhando forma escrita desde 1969, muitos por sugestão do psicanalista da autora em Lovaina, e até 2006.


Este sétimo Livro de Horas de Maria Gabriela Llansol, o seu «Livro dos Sonhos», concentra-se, com a diversidade que ainda assim o carateriza, num único tipo de registo: é um repositório da escrita assumidamente onírica da autora, um espelho da sua «sismografia íntima», frequentemente com comentários, tentativas de interpretação e contextualização dos sonhos, e muitos desenhos que parecem nascer da experiência onírica ou visionária e que, nos seus cadernos, interrompem e prolongam muitas vezes a escrita. O sonho, e a necessidade da sua fixação e interpretação, é aqui acima de tudo o espaço de perda e de busca de si por parte de um sujeito que a si mesmo permanentemente se põe em cena, indo de corpo e alma ao encontro dos seus desejos, anseios, medos e dúvidas.

Com seleção, transcrição, introdução e notas de João Barrento e Maria Etelvina Santos, e um posfácio assinado pelo escritor, professor universitário e psiquiatra António Vieira, O Sonho É Um Grande Escritor é uma obra singular ao reunir um número significativo de sonhos que foram ganhando forma escrita desde 1969, muitos por sugestão do psicanalista da autora em Lovaina, e até 2006. 

«Se é o sonho que cria o homem, vou criar o sonho que me cria»
Maria Gabriela Llansol

SOBRE O LIVRO

Título: O Sonho É Um Grande Escritor — Livro de Horas VII
Autor: Maria Gabriela Llansol
N.º de Páginas: 216
PVP: 16,60€
Coleção: arrábido
Ver primeiras páginas  

SOBRE O AUTOR
Maria Gabriela Llansol

Escritora portuguesa de ascendência espanhola, nasceu em 1931 em Lisboa. Licenciou-se em Direito e em Ciências Pedagógicas, tendo trabalhado em áreas relacionadas com problemas educacionais. Em 1965, abandonou Portugal para se fixar na Bélgica. Regressou a Portugal nos anos 80. Considerada uma autora cuja escrita é hermética e de difícil inteligibilidade para o leitor comum, é, no entanto, apontada por muitos como um dos nomes mais inovadores e importantes da ficção portuguesa contemporânea. A sua carreira literária iniciou-se com Os Pregos na Erva (1962), obra que inaugurou uma nova forma de escrever, embora estruturalmente se assemelhe a um livro de contos. Amigo e Amiga, Os Cantores de Leitura, O Raio Sobre o Lápis, Uma Data em Cada Mão, Desenhos a Lápis com Fala – Amar um Cão, Um Arco Singular, Numerosas Linhas, Lisboaleipzig, A Palavra Imediata, O Azul Imperfeito, Um Beijo Dado Tarde Demais, O Livro das Comunidades, Herbais Foi do Silêncio e Da Sebe ao Ser são alguns dos títulos já publicados pela Assírio & Alvim. 
Agenda
Ver mais eventos
Visitas
54,064,170
>