"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Publicações

Aí está Quichotte - o novo romance de Salman Rushdie

Já chegou às livrarias, com a chancela da Dom Quixote, o novo romance de Salman Rushdie, Quichotte, livro que é simultaneamente uma homenagem a uma obra literária imortal e uma moderna obra-prima sobre a busca do amor e da família. 


Bem se poderá dizer, com toda a propriedade, que Rushdie criou um deslumbrante Dom Quixote para a época moderna.

Inspirado pelo clássico de Cervantes, Sam DuChamp, um medíocre autor de livros de espionagem, cria Quichotte, um cortês e apatetado vendedor ambulante obcecado pela televisão, que é vítima de uma paixão impossível por uma estrela de TV. Acompanhado pelo seu filho (imaginário) Sancho, Quichotte empreende uma picaresca busca pela América a fim de se mostrar digno da mão da celebridade, arrostando valorosamente com os tragicómicos perigos de uma era em que «Tudo-Pode-Acontecer». Entretanto, o seu criador, que vive uma crise de meia-idade, enfrenta igualmente os seus imperiosos desafios.

Tal como Cervantes escreveu Dom Quixote para satirizar a cultura do seu tempo, Rushdie transporta o leitor numa desvairada corrida através de um país à beira do colapso moral e espiritual. E, com aquela magia narrativa que é a imagem de marca da obra do autor de Os Versículos Satânicos, as vidas amplamente realizadas de DuChamp e Quichotte interpenetram-se numa busca profundamente humana do amor e num retrato perversamente divertido de uma época em que os factos são tantas vezes indistinguíveis da ficção.

Salman Rushdie, cuja obra em Portugal é publicada pela Dom Quixote, é autor de dezanove livros, entre os quais se conta Os Filhos da Meia-Noite, que conquistou o Booker Prize em 1981, o Booker of Bookers em 1993 e, em 2008, o Best of the Booker. O Último Suspiro do Mouro foi contemplado com o Withbread Prize em 1995 e com o Prémio Aristeion de Literatura da União Europeia em 1996.

Em 2007, Rushdie foi agraciado com o título de Cavaleiro por serviços prestados à literatura.

É membro da Royal Society of Literature e Commandeur de l’Ordre des Arts et des Lettres. 

Visitas
54,079,235
>