"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Publicações

Guilherme Duarte e a cadela Zaya apresentam "Por ladrar noutra coisa – Diário de uma bitch"

"Um cocktail explosivo de sarcasmo, corrosão, acutilância e humanidade" – Nuno Markl, no prefácio.


Há largos séculos que a análise e reflexão sobre a vida e o comportamento dos humanos se tornou habitual. Incomum é ver o mundo pelos olhos de uma cadela, mais ainda quando se trata de uma cadela resgatada, que se tornou influencer e que faz da ironia e do sarcasmo os seus recursos favoritos. Por ladrar noutra coisa – Diário de uma bitch é o novo livro do humorista Guilherme Duarte, que dá voz à sua cadela, Zaya. O livro chega às livrarias de todo o país com o selo da Ideias de Ler.

Além de ser narradora e protagonista deste livro, Zaya é uma pitbull que teve um início de vida conturbado. Antes de ser adotada esteve na ala de animais potencialmente perigosos de um canil, apresentava sinais de maus tratos – estava ferida, demasiado magra e tinha os dentes limados – e tinha sido abandonada e deixada amarrada a uma árvore. Hoje, é uma cadela feliz, que não gosta de sair de casa, o que a motivou a criar uma página de Instagram com milhares de seguidores, @diariodeumabitch, e a ser escritora.

Sob a forma de um diário humorístico, em que, mais do que se fazer passar pela sua cadela, o autor lhe constrói uma personalidade, os leitores vão conhecer a história de Zaya, enquanto, no registo sarcástico e que o tornou popular, Guilherme Duarte explora as fragilidades e feridas da sociedade e dos indivíduos, sem poupar nada nem ninguém (nem o próprio), mas com uma humanidade que apenas está ao alcance de animal de quatro patas.

Por exigência da Zaya, a SOS Animal receberá 0,50€ por cada exemplar vendido de Por ladrar noutra coisa – Diário de uma bitch.


24 de dezembro, Terça-feira
Não sei o que se passa hoje nesta casa, mas anda tudo muito nervoso.
Os humanos andam agitados, de um lado para o outro, a meter pacotes dentro de papel com cores e depois dentro de sacos. Alguém deve fazer anos, porque aquilo parecem-me prendas. Ouvi falar num tal de Jesus, mas não sei quem é, deve ser amigo destes humanos. Acho que ainda é um menino, deve ser por isso que tem direito a tantas prendas. 


"O Guilherme Duarte está sempre a meter-se em sarilhos e não manda dizer por ninguém, é a prova viva de que se pode ser mais corrosivo que o ácido e, ao mesmo tempo, ter toda a doçura que ele demonstra pela sua incomparável bitch: a Zaya"
Nuno Markl, prefácio 

SOBRE O LIVRO

Por Ladrar Noutra Coisa – Diário de uma bitch
Zaya foi maltratada, abandonada e presa a uma árvore, resgatada e colocada no canto mais recôndito de um canil, onde os pitbulls e outros cães "perigosos" ficam até morrer. Mas o destino levou até aquele lugar um ser bondoso e extremamente belo*, que a adotou. Agora, com novos donos, nova casa, nova vida... tudo mudou! As relações com outros animais, o seu ódio de estimação por gatos, a vida como influencer, o estranho modo de viver dos humanos, tudo é relatado no diário que alimenta. E já que falamos em alimentar: para a Zaya, bacon é vida.
Por Ladrar Noutra Coisa – Diário de uma bitch é um registo sarcástico e bem-humorado do mundo canino e humano, segundo o ponto de vista de uma cadela que, para além de comer e dormir, gosta de escrever coisas inconvenientes.
*O humorista Guilherme Duarte. Os adjetivos usados são da Zaya.

Título: Por Ladrar noutra coia – Diário de uma bitch
Autores: Guilherme Duarte e Zaya
Nº de páginas: 240
PVP: 15,50€

Ver primeiras páginas 

SOBRE O DONO DA AUTORA
Guilherme Duarte


Tem 36 anos e há quem lhe chame humorista, mas é porque hoje em dia as pessoas riem-se com pouco. Licenciou-se em Engenharia Informática, curso que, para desgosto dos pais, só usa para atualizar os seus sites (dizem que era bom informático, se calhar foi um erro ter-se despedido). Cedo percebeu que o humor era a melhor forma de desarmar assaltantes na Buraca e, em 2014, criou o blogue Por Falar Noutra Coisa, onde resolveu escrever umas coisas (por acaso, foi eleito o melhor blogue de 2016; as pessoas não têm mesmo critérios…). Faz stand-up comedy tanto em grandes teatros como em bares manhosos (em ambos os casos, é aplaudido por meia dúzia de bêbados). É coautor da série de sketches Falta de Chá (qualquer pessoa põe coisas no YouTube e acha-se logo uma vedeta, mas por acaso foi emitido na SIC Radical) e do podcast Sem Barbas na Língua (ouvido por mais ou menos duas pessoas). É cronista do SAPO 24 e autor de uma rubrica de humor nas manhãs Antena 3 (sempre à hora em que os ouvintes mudam de estação). Faz o jantar e lava a loiça enquanto a namorada vê a novela, e depois vai passear a sua cadela Zaya (vá, faz alguma coisa de jeito).
Escreveu já quatro livros (um dos quais com o pseudónimo Doutor G), sendo o último, Por Ladrar Noutra Coisa – Diário de uma bitch, o melhor de todos (porque, na verdade, foi escrito pela Zaya).  

Agenda
Ver mais eventos

Passatempos

Visitas
54,645,126
>