"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Notícias

Rede de Cafés Históricos da Península Ibérica venceu prémio europeu de Turismo Cultural

A Associação dos Cafés com História de Portugal é a vencedora, na categoria "Transnational Thematic Tourism Products”, dos prémios atribuídos pela European Cultural Tourism Network (ECTN), na edição de 2020, cujo tema principal era a “Special Interest Tourism development and promotion based on Cultural Heritage”.


A criação de uma rede entre Portugal e Espanha que estabeleça um itinerário de Cafés Históricos foi a proposta apresentada à “European Cultural Tourism Network” (ECTN) na categoria "Transnational Thematic Tourism Products, including European Cultural Routes". Na entrega de prémios que aconteceu, em cerimónia virtual via zoom, no passado dia 22 de outubro, a ECTN distinguiu esta iniciativa com 1º prémio nesta categoria.

Os prémios europeus de turismo cultural são uma iniciativa da European Cultural Tourism Netwok (ECTN) com a colaboração da NECSTour, da Europa Nostra, da European Travel Commission, da European Commission Directorate-General of Education and Culture e conta com o apoio da Iter Vitis Cultural Route e da Phoenicians Cultural Route.

Os Cafés Históricos representam o património (material e imaterial), a história, a identidade e a memória viva da nossa sociedade e das nossas cidades.

Devido à sua longevidade comercial podemos afirmar que os Cafés Históricos, são eles também, uma das expressões dos valores, das tradições, das memórias e das vivências sociais das nossas cidades, dos nossos países e, porque não, também da Europa.

Com esta candidatura quisemos recordar as histórias dos Cafés Históricos da Península Ibéria, refletir sobre a sua definição (Café Histórico vs Café com História), mantendo vivo o legado que nos foi transmitido ao longo de décadas, dando visibilidade ao seu contributo para o património cultural de Portugal e Espanha.

A nossa missão é acrescentar valor (adicionar histórias / conteúdos / tradições), ao que recebemos das gerações que nos antecederam. Temos de cuidar, divulgar e dar visibilidade aos Cafés Históricos, este património (material e imaterial), não o deixando esquecer, projetando-o para o futuro, enriquecendo a sua vida, a sua existência, a nossa vida e a nossa existência.

Os Cafés Históricos ao integrarem os circuitos turísticos regionais poderão contribuir para o desenvolvimento e coesão territorial, mas também para a sustentabilidade económica, social, cultural (onde se incluí a gastronomia) e turística das populações dessas regiões. Numa época em valorizamos o turismo de proximidade e o turismo transfronteiriço, esta pode ser a oportunidade para atingir tão ambicionado objetivo, dando maior visibilidade aos destinos de turismo cultural.

Os Cafés Históricos têm uma identidade própria. Por um lado, é visível no desempenho dos gerentes e dos colaboradores, mas, principalmente, pelos clientes que frequentam estes estabelecimentos e que, ao dar-lhes vida, permitem a sua longevidade ao longo de gerações. Por outro lado, os Cafés Históricos estão abertos ao público, adaptam-se às novas realidades do mercado e às exigências do consumidor, mantendo-se competitivos, e, acreditamos, que vão também deixar um legado histórico, patrimonial e cultural para as próximas gerações.

Esta Rota dos Cafés Históricos da Península Ibérica, uma rota transnacional, é uma oportunidade para viajar, para descobrir e conhecer a história, a herança cultural e a diversidade social, que é dada a conhecer por cada um dos Cafés Históricos que se localiza nas diversas regiões de Portugal e Espanha. O melhor exemplo são os Caminhos de Santiago, a primeira Rota Cultural do Conselho da Europa (1987). Podemos, neste percurso, visitar os Cafés Históricos das diferentes cidades, tornando a experiência ainda mais enriquecedora não só do ponto de vista religioso, mas também cultural.

A Vítor Marques, coproprietário do Café Santa Cruz (Coimbra) e Presidente da Associação dos Cafés com História de Portugal, junta-se Fernando Franjo, um jornalista e escritor espanhol que tem desenvolvido extensa pesquisa sobre a história dos cafés em Espanha, tendo publicado o livro "50 Cafés Históricos de España e Portugal". "Este prémio é um tributo, uma homenagem, a todos aqueles que proporcionaram a longevidade destes magníficos Cafés. Esperamos que este prémio seja fonte de inspiração e motivação para estes novos tempos".

Neste momento está a ser estruturado um projeto piloto, envolvendo os Cafés Históricos do Centro de Portugal e os Cafés Históricos da Galiza, no sentido de promover a música e a gastronomia de cada uma destas regiões, cumprindo as regras da Direção Geral da Saúde (se ainda se mantiver a pandemia do COVID-19), de ambos os países.

Mais informações sobre a presente edição da ECTN Awards 2020:
http://www.culturaltourism-network.eu/
https://necstour.eu/public-news/better-places-live-and-visit-enhance-dialogue-between-culture-and-tourism-and-re-build

Agenda
Ver mais eventos
Visitas
57,065,900
>