"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Notícias

Primeiro festival de música do ano é em Arcos de Valdevez

O cartaz inclui concertos em vários dias com Carminho, Clã, Mão Morta e Luísa Sobral, entre outros.


O festival Sons de Vez está de volta, em fevereiro e março, à Casa das Artes de Arcos de Valdevez. A 19ª edição promete recuperar alguns dos projetos que não chegaram a palco no ano passado e com outras novidades, para celebrar o “melhor da música nacional”.

“Não é por acaso que o Sons de Vez consiste num dos mais consagrados e respeitados momentos de promoção do que de melhor se faz na música em Portugal, onde os concertos de cariz intimista trazem este ano a consequência acrescida de erguer a bandeira cultural por um futuro mais promissor”, explica em comunicado a organização.

A abrir o festival, no dia 5 de fevereiro, estará Carminho, uma das grandes vozes do fado atual e uma das artistas portuguesas com maior projeção internacional. Já os Galandum Galundaina, grupo das Terras de Miranda, sobem ao palco no dia 12, com um concerto de música tradicional.

No fim-de-semana seguinte, no dia 19 de fevereiro, é a vez de os Clã marcarem presença. Um concerto que completa mais um capítulo da sua história com a digressão de celebração do novo disco “Véspera”.

O mês de fevereiro fecha no dia 26 com o concerto de PAUS e a apresentação do seu mais recente disco “YESS”.

No dia 5 de março, os Mão Morta levam a Arcos de Valdevez a sua história de três décadas e contam com a participação especial do coro juvenil de Arcos de Valdevez.

Os Plástica sobem ao palco a 12 de março, estando reservado o dia 19 de março para os Nó Cego, que quebram um interregno de 10 anos sem tocar, e os Tarantula, considerados os pais do Heavy Metal nacional.

A 19ª edição do festival Sons de Vez encerra a 26 de março com a cantora e compositora Luísa Sobral, que promete um registo diferente, fazendo-se acompanhar pelo guitarrista Manuel Rocha, para um concerto intimista que atravessa os seus 5 discos e canta temas inéditos e canções que compôs para outros artistas.

À semelhança de anos anteriores e a par dos concertos, estará patente no Foyer do Auditório da Casa das Artes de Arcos de Valdevez a exposição de fotografia da autoria de Sérgio Neto, Miguel Lobo e Jorge Silva, que apresenta os momentos mais emotivos de 2020.

Todos os concertos da 19ª edição do festival têm início marcado para as 21h00 e, “excecionalmente, sempre às sextas-feiras, respondendo assim às contingências vigentes, que definem também um limite de 106 lugares no auditório, e mecanismos de segurança e higiene de última geração”, explica a organização do festival que é promovido pela Câmara de Arcos de Valdevez.


por Olímpia Mairos in Renascença | 8 de janeiro de 2021
Notícia no âmbito da parceria Centro Nacional de Cultura | Rádio Renascença

Agenda
Ver mais eventos
Visitas
58,051,466
>