"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Publicações

A verdade humana que o estereótipo esconde

Porgy e Bess, de DuBose Heyward, é o novo título da coleção Miniatura. Uma grande obra num pequeno volume. 


Com personagens inesquecíveis, de grande complexidade psicológica e emocional, Porgy e Bess (1925) foi um marco na literatura do sul dos Estados Unidos da América, sendo considerada a primeira obra onde a comunidade negra é retratada com realismo e profundidade. Um livro notável de DuBose Heyward, magistralmente vertido para português por Jorge de Sena, que a Livros do Brasil disponibiliza de novo no mercado, respeitando a versão originalmente publicada nos anos 50.

O livro já se encontra em pré-venda.

Obra marcante da literatura norte-americana – tendo influenciado autores como William Faulkner ou Eudora Welty no que ao retrato das comunidades negras diz respeito –, este imaginário para muitos distante chegou a um maior público graças à celebre ópera de George Gershwin estreada no outono de 1935 em Nova Iorque, onde continua em cena. Summertime é a mais memorável ária desta produção, revisitada ao longo dos tempos pelas mais diversas vozes. Em 1959, o realizador Otto Preminger adaptou esta história ao grande ecrã, num filme merecedor do Óscar para Melhor Banda Sonora e com Sidney Poitier e Dorothy Dandridge no papel de protagonistas.

Acompanhe a sua leitura ao som da ópera homónima.

SOBRE O LIVRO
Porgy e Bess
Sujo, aleijado e indesejado, Porgy é um mendigo negro que vive nas sombras das ruas de Charleston, confiando à sorte e aos deuses o seu destino. Até que Bess, como um raio de luz, entra na sua vida e o desejo de a salvar das garras da violência e da degradação torna-se uma missão. 

Título: Porgy e Bess
Autor: DuBose Heyward
Tradução: Jorge de Sena
N.º de Páginas: 152
PVP: 8,80 €
Coleção: Miniatura

Ver primeiras páginas 

SOBRE O AUTOR
Edwin DuBose Heyward
Nasceu em Charleston, na Carolina do Sul, em 1885. Foi poeta, dramaturgo, romancista e argumentista. Aos dezassete anos trabalhou nos desembarcadouros da cidade, experiência que lhe deu a conhecer a cultura afro-americana e os dialetos de Charleston, fundamentais para a escrita do seu mais famoso romance, Porgy . Em 1920, juntamente com os escritores Hervey Allen e John Bennett, fundou a Poetry Society of South Carolina. Ao longo dos anos que se seguiram, foi consolidando a sua carreira literária com vários livros de poesia, peças de teatro e romances. A boa receção de Porgy (1925) levou Heyward a deixar o seu trabalho como corretor de seguros e a dedicar-se em exclusivo à escrita e ao ensino, onde se destacou na área da literatura sulista. Dois anos mais tarde, em conjunto com a sua mulher, Dorothy, argumentista da Broadway, adaptou o romance para peça de teatro e, em 1935, George Gershwin imortalizou-a numa famosa ópera sob o título Porgy e Bess. Heyward morreu em Tryon, Carolina do Norte, em 1940. 
Agenda
Ver mais eventos
Visitas
67,709,332