"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Publicações

E se a «querida Kitty» ganhasse vida?

À procura de Anne Frank , de Ari Folman e Lena Guberman, é uma história apaixonante, lançada simultaneamente em livro e em filme de animação.


Segunda adaptação da trágica história de Anne Frank para banda desenhada – com a autorização da família e tendo por base os textos originais do Diário publicado há precisamente 75 anos –, À procura de Anne Frank proporciona-nos uma nova perspetiva sobre tão simbólica figura. «Só agora, só aqui, compreendo plenamente porque me inventaste», confessa a «querida Kitty», a amiga imaginária a quem Anne dirigia as entradas no seu diário, agora protagonista desta novela gráfica do realizador e autor Ari Folman e da ilustradora Lena Guberman . Cinco anos depois do sucesso mundial de O Diário de Anne Frank – Diário Gráfico , crianças e adultos têm uma nova oportunidade de recordar o destino da menina judia que se transformou num símbolo de coragem para milhões em todo o mundo através do olhar da tal «rapariga misteriosa», a confidente a quem Anne deu nome e traços de personalidade.

O livro já se encontra em pré-venda.

«Procurámos expandir os limites da história e fazer uma ligação com o nosso mundo atual», confessa Ari Folman no posfácio da obra, consciente de que «as aventuras de Kitty têm lugar na Europa, mas as verdades que ela descobre refletem a dura realidade em muitas partes do mundo». Ódio cego, ataques violentos, discriminação de minorias e negacionismo dos horrores da História continuam a colocar em perigo milhões de crianças em todo o mundo, alerta este livro. O filme homónimo, estreado no mais recente Festival de Cannes, chega às salas de cinema nacionais já a 5 de maio.

 

SOBRE O LIVRO

À procura de Anne Frank
No seu famoso diário, Anne Frank criou uma amiga imaginária, Kitty. Agora, o realizador e autor Ari Folman, juntamente com a artista Lena Guberman, dão-lhe vida. Quando uma estranha tempestade se abate sobre Amesterdão e quebra o vidro que protege o diário guardado na Casa de Anne Frank, Kitty irrompe daquelas páginas e vai viver uma verdadeira aventura em busca da sua amiga. Acompanhada pelas memórias dos dias passados no anexo secreto, Kitty percorre as ruas da capital holandesa de hoje e, com a ajuda de amigos inesperados, irá descobrir o que foi o Holocausto, o que isso significou para Anne e o que, por sua vez, o seu diário continua a representar para as crianças de todo o mundo.

Ver primeiras páginas 

Título: À procura de Anne Frank
Autores: Ari Folman, Lena Guberman e Anne Frank
Tradução: Elsa T. S. Vieira
Páginas: 160
PVP: 18,80€ 

SOBRE OS AUTORES

Ari Folman
Nasceu a 17 de dezembro de 1962, em Haifa, Israel, e é um premiado realizador de cinema, argumentista e compositor de bandas sonoras. Escreveu e realizou o filme A Valsa com Bashir , nomeado para os Óscares e vencedor de um Globo de Ouro para melhor filme estrangeiro, em 2008. 

Lena Guberman
É licenciada em Comunicação Visual pela Betzalel Academy de Jerusalém. Além de autora premiada de ilustrações para livros e para artigos em jornais, colabora também regularmente em filmes de animação. Trabalhou com Ari Folman no livro e no filme À procura de Anne Frank.

Anne Frank
Nasceu a 12 de junho de 1929 em Frankfurt, na Alemanha, no seio de uma família judaica. Em 1933, após a tomada de poder pelos nazis, os seus pais decidiram partir para Amesterdão, na Holanda, país que tinha fama de bem acolher as minorias religiosas. Em 1940, porém, os alemães invadem este território e iniciam uma forte perseguição aos judeus, reencaminhando-os para “campos de trabalho”. Depois de dois anos de reclusão num anexo ao antigo escritório do pai, Anne Frank é detida em agosto de 1944. Viria a morrer de tifo no campo de concentração de Bergen-Belsen em março de 1945. O diário que escreveu durante este período tornou-se uma das obras de não ficção mais lidas em todo o mundo.   

Agenda
Ver mais eventos
Visitas
67,709,429