"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Publicações

As coisas do novo mundo só se podem ver…

Ao longe, de Hernán Díaz, é o quarto título da coleção Contemporânea. Romance anuncia um autor excecional, numa homenagem ao antigo western e à literatura de viagens. 


Ao longe
marca a estreia literária de Hernán Díaz, autor argentino, criado na Suécia e que hoje vive nos EUA. Este primeiro romance, publicado numa pequena editora norte-americana, foi a surpresa entre os finalistas dos prémios Pulitzer em 2018. Foi igualmente finalista do PEN/Faulkner e vencedor do William Saroyan. Considerada pelo Literary Hub um dos 20 melhores romances da década, esta obra com direitos vendidos para mais de 20 países reinventa o romance de aventuras, narrando uma viagem pelos Estados Unidos da América do século XIX. A tradução é de Francisco Agarez.

O livro já se encontra em pré-venda.

Falcão, ou melhor, Håkan – alguém «tão grande quanto podia ser sem deixar de ser humano» –, é o protagonista destas duras e erráticas deambulações rumo a Nova Iorque. Nesse processo, o silêncio e a solidão toldam nele a perceção do tempo, pois «numa vida monótona, um ano e um instante valem o mesmo». Também nós, enquanto lemos estas páginas, não damos por ele passar. 

SOBRE O LIVRO
Ao longe
Um rapaz sueco desembarca na Califórnia, sozinho, sem um tostão no bolso e sem entender uma palavra de inglês. Confia que na costa oposta, em Nova Iorque, o seu irmão mais velho o espera, juntamente com as garantias de uma vida próspera e tranquila, e não lhe resta mais do que pôr-se a caminho, a pé. Durante esta longa viagem, esbarra com o fluxo de gente que procura no Oeste ouro e terras férteis, conhece naturalistas, criminosos, fanáticos religiosos, índios, homens das leis e das armas e, entre avanços e recuos, à medida que se torna um homem, torna-se também uma lenda. Com este que foi o seu romance de estreia, Díaz reconfigurou as convenções da ficção histórica, forçando um olhar sobre os estereótipos que povoam a nossa ideia de passado e os seus protagonistas.

Ver primeiras páginas 

Título: Ao longe
Autor: Hernán Díaz
Tradução: Francisco Agarez
N.º de Páginas: 272
PVP: 17,70€
Coleção: Contemporânea 

CRÍTICAS DE IMPRENSA

«Uma potente reflexão sobre solidão, uma memorável narrativa sobre imigração e uma reinvenção hábil do antigo western.»
Publishers Weekly

«Um romance belissimamente escrito, que mapeia o crescimento de um homem desde a infância até ao mito, à medida que viaja entre continentes e entre os extremos da condição humana.»
Do relatório do Prémio Pulitzer 2018

«Cormac McCarthy ao estilo de Gabriel García Márquez. […] Um trabalho ambicioso e cuidadosamente concretizado de ficção histórica revisionista.»
Kirkus Reviews (EUA)

«Uma história de aventuras de leitura compulsiva, que é ao mesmo tempo uma profunda meditação sobre solidão e companheirismo, sobre o estrangeiro e o doméstico; um romance de formação que respeita as grandes tradições do século XIX, mas que é também uma poderosa crítica aos mitos romantizados da colonização do Oeste americano. […] Um retrato singular e profundamente tocante da vida de um homem num mundo em rápida mudança.»
The Guardian (Reino Unido)

«Um romance poderoso e singular […] no qual Hernán Díaz consegue o mais difícil – criar uma personagem que permanece connosco. […] Este livro é, de facto, anómalo, um meteorito na literatura americana.»
Il Gionale (Itália)

«Uma viagem odisseica, na melhor tradição do romance de aventuras.»
El Periódico (Espanha)

SOBRE O AUTOR
Hernán Díaz
Nasceu na Argentina, cresceu na Suécia e vive hoje nos Estados Unidos da América. Publicou em 2018 o seu primeiro romance, Ao longe, com o qual venceu o Prémio William Saroyan e foi finalista do Pulitzer e do PEN/Faulkner. Em 2019 foi distinguido com o Prémio Whiting e recebeu uma bolsa da New York Public Library’s Cullman Center para académicos e escritores. O seu segundo romance, Trust, é publicado em 2022. 
Agenda
Ver mais eventos
Visitas
67,691,298