"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Publicações

Lisboa é cantada em verso em … como que lisboandando

Cruzando as ruas de Lisboa, cidade luminosa beijada pelo Tejo e virada para o mar, … como que lisboandando leva-nos a explorar, nos versos de Fernando Machado Antunes, os sentimentos e as sensibilidades dos que nela moram, dos de fora, que, por opção, para ela foram viver ou passar algum tempo das suas vidas, estudando ou trabalhando, ou, ainda, dos que simplesmente a (re)visitam, no lazer das férias.


Todos, «namorando-se», «namorando» essa cidade menina e moça, mulher das suas e das nossas vidas. … como que lisboandando chega à rede livreira nacional,  com a chancela da Guerra e Paz, Editores.

Nas linhas de … como que lisboandando, descobrem-se as gentes de Lisboa, os seus amores e desamores, a saudade e a solidão, a sedução do seu fado e da sua canção e até a beleza dos seus malandros. Neste seu segundo livro de poesia, que sucede a Amor(es) em Lualis, de 2015, Fernando Machado Antunes homenageia a capital portuguesa, cantando-a verso a verso num livro que percorre a cidade pelas mentes dos que a enamoram. Sim, segundo o autor, o livro não fala da Lisboa física, «por respeito aos que a conhecem, de facto, nas suas ruas e ruelas, becos e bairros», mas «dos sentimentos e sensibilidades dos que nela existem».

A obra que agora se apresenta lê-se como um romance se nos deixarmos levar pela cadência dos poemas. Lê-se, na ginga das palavras, pelas linhas e entrelinhas dos versos, como uma declaração de amor a esta cidade fantástica que, nos seus tons e sons, cores e gentes, e na sua luz, se abriu ao mundo, cosmopolita, miscigenada, a caminho, arranhem-se os puristas, da mestiçagem.

Mas, em … como que lisboandando, também se cantam os tempos difíceis de viver. Em adenda, o poeta fala-nos da forma como a cidade das sete colinas, pujante de vida, se viu, repentinamente, atirada à parede pelo vírus que assolou o mundo. Fecharam-se os de dentro, foram-se os de fora. Fala-nos dos que, dois anos depois, vieram, já com frestas abertas à tentação dos passos, matar-lhe a saudade, bem como, finalmente, do tempo em que as portas se abriram, convidativas ao ressurgir dessa Lisboa aberta ao mundo.

Uma edição Guerra e Paz, Editores, para leitores, amantes e malandros … como que lisboandando chega agora à rede livreira nacional. 

… como que lisboandando
Fernando Machado Antunes
Ficção / Poesia
80 páginas · 15x21 · 12 €
Guerra e Paz, Editores

Agenda
Ver mais eventos
Visitas
67,741,129