"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Publicações

Há 75 anos nascia um livro imortal

O Diário de Anne Frank fica agora disponível numa edição de capa dura, com grafismo que simula o diário original. Simultaneamente, pela primeira vez, a obra pode ser lida em formato e-book. 


Precisamente dois dias antes da data em que se assinala o 75.º aniversário da publicação de O Diário de Anne Frank, a Livros do Brasil apresenta uma edição especial deste símbolo literário mundial. No presente volume, o texto integral da versão definitiva é valorizado por uma coleção de fotografias a cores da família Frank e dos demais ocupantes do anexo secreto, documentos exclusivos da Fundação Anne Frank.

O livro já se encontra em pré-venda e estará disponível nas livrarias a 23 de junho de 2022.

Estabelecida por Otto Frank, a Fundação Anne Frank foi fundada em 1963 e representa a família Frank. Em cooperação com diferentes editoras, a Fundação é responsável pela publicação do Diário em todo o mundo, sendo a totalidade das receitas daí provenientes utilizadas em projetos de promoção da paz e do diálogo, que, por exemplo, fortaleçam os direitos das crianças e forneçam educação contra o racismo e o antissemitismo. O Diário de Anne Frank tornou-se parte da literatura mundial e uma das publicações mais significativas sobre o Holocausto. Setenta e cinco anos passados da sua primeira edição, «a animosidade em relação aos judeus, a discriminação e a negação do Holocausto ainda são questões relevantes», frisa John Goldsmith, presidente da Fundação. «O Diário de Anne Frank continua a ser um manifesto», sublinha.

SOBRE O LIVRO
O Diário de Anne Frank
Escrito entre 12 de junho de 1942 e 1 de agosto de 1944, foi publicado pela primeira vez em 1947, por iniciativa de seu pai, revelando ao mundo o dia a dia de dois longos anos de uma adolescente forçada a esconder-se, juntamente com a sua família e um grupo de outros judeus, durante a ocupação nazi da cidade de Amesterdão. Todos os que se encontravam naquele pequeno anexo secreto acabaram por ser presos em agosto de 1944, e em março de 1945 Anne Frank morreu no campo de concentração de Bergen-Belsen, a escassos dois meses do final da guerra na Europa. O seu diário tornar-se-ia um dos livros de não-ficção mais lidos em todo o mundo, testemunho incomparável do terror da guerra e do fulgor do espírito humano. É uma das leituras recomendadas no âmbito das Aprendizagens Essenciais Curriculares da disciplina de Português do 8.º ano de escolaridade. 

Título: O Diário de Anne Frank
Autora: Anne Frank
Tradução: Elsa T. S. Vieira
N.º de Páginas: 480
PVP: 22,00€ 

SOBRE A AUTORA
Anne Frank

Nasceu a 12 de junho de 1929 em Frankfurt, na Alemanha, no seio de uma família judaica. Em 1933, após a tomada de poder pelos nazis, os seus pais decidiram partir para Amesterdão, na Holanda, país que tinha fama de bem acolher as minorias religiosas. Em 1940, porém, os alemães invadem este território e iniciam uma forte perseguição aos judeus, reencaminhando-os para “campos de trabalho”. Depois de dois anos de reclusão num anexo ao antigo escritório do pai, Anne Frank é detida em agosto de 1944. Viria a morrer de tifo no campo de concentração de Bergen-Belsen em março de 1945. O diário que escreveu durante este período tornou-se uma das obras de não ficção mais lidas em todo o mundo. 
Agenda
Ver mais eventos
Visitas
67,691,945