"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Publicações

Ensaio inédito de Rui Teixeira da Mota traça os vários perfis da sabujice nacional

Graxistas, lacaios, bajuladores, capachos, os sabujos sempre existiram e estão por toda a parte. Mas como é que os podemos distinguir entre si, no meio político, no trabalho ou nas escolas? O que pensam? Como agem? 


Graxistas, lacaios, bajuladores, capachos, os sabujos sempre existiram e estão por toda a parte. Mas como é que os podemos distinguir entre si, no meio político, no trabalho ou nas escolas? O que pensam? Como agem? Em O Elogio da Sabujice, o cronista e animador de rádio Rui Teixeira da Mota apresenta-nos um retrato satírico e despretensioso das sanguessugas que proliferam na nossa sociedade, em busca de um lugar ao sol. O Elogio da Sabujice chega à rede livreira nacional, numa edição Guerra e Paz prefaciada pelo professor João Paulo Feijoo.

Ciente da importância dessa nobre atividade no nosso quotidiano, Rui Teixeira da Mota, cronista e animador de rádio, constatou que a sabujice ainda não tinha merecido o tratamento que lhe seria devido. É então que nasce O Elogio da Sabujice, um guia inédito que nos ajuda a analisar várias manifestações e contextos deste modo de agir.

Quem é que nunca se cruzou com um faz?tudo? Esse mesmo, o indivíduo que, na presença das chefias, está sempre disponível, porém, quando é necessário ajudar um colega, está sempre «demasiado ocupado». Ou com um «Zé das Dúvidas»? Colega da escola que, em todas as aulas, apresenta, pelo menos, três dúvidas para demonstrar ao professor a sua atenção e diligência? E com um «tretas», que finge que faz, mas não faz? No livro, estas e outras subcategorias de sabujos, entre as quais constam ainda «os pavões», «os papagaios», «os assoberbados», «os pródigos», «os sofisticados» ou «os acomodados servis», entre outros, são elencadas de forma abrangente e inclusiva.

Ninguém escapa, neste livro, à voz satírica de Teixeira da Mota que confessa: «Até me assustei!» «Quando, para a elaboração deste ensaio, […] pesquisei as palavras sinónimas do vocábulo “sabujo”.» A lista é vasta e vai dos comuns «lambe-botas» e «graxista» até ao menos comum «manteigueiro», passando pelos pouco ortodoxos «lambe-cus» e «chupa-pilas».

No entanto, este não é apenas um manual da sabujice. Na opinião do professor João Paulo Feijoo, que assina o prefácio do livro, «esta obra vai muito além de uma simples intenção prescritiva ou operativa. Com efeito, o autor brinda-nos com uma análise crítica profunda e exaustiva, profusamente documentada, do fenómeno em apreço, apelando a um vasto conhecimento que vai da História à Filosofia, da Literatura à Psicologia e da Ciência política ao Comportamento organizacional.»

E porque onde há um bajulador, há sempre um bajulado, o autor leva-nos a refletir sobre as condições de sucesso e potenciais consequências – positivas ou não – para engraxadores e engraxados. Há ainda espaço para um inventário histórico da sabujice, desde a Antiguidade, passando pela Idade Média até ao nosso tempo, e para uma análise aprofundada das especificidades da bajulação no meio político.

O Elogio da Sabujice poderá ser adquirido através do site da editora

O Elogio da Sabujice
Rui Teixeira da Mota
Não-Ficção / Sociologia
160 páginas · 15x23 · 15 €
Agenda
Ver mais eventos

Passatempos

Passatempo

Ganhe convites para a antestreia do filme "BANDIDO"

Em parceria com a PRIS Audiovisuais, oferecemos convites duplos para a antestreia do novo filme de Allan Ugar, que terá lugar no próximo dia 3 de outubro, em Gaia e Lisboa. Participe e habilite-se a ser um dos felizes contemplados!  

Visitas
70,590,587