"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Publicações

Manifesto do filósofo austríaco Friedrich A. Hayek reforça coleção "Os Livros Não se Rendem"

A última e, porventura, a mais marcante obra publicada por Friedrich A. Hayek, Arrogância Fatal – Os Erros do Socialismo, refuta o socialismo através de uma análise sistemática e rigorosa que demonstra que não só as suas teorias são logicamente incorretas, mas as suas premissas também.


Três décadas depois da sua primeira publicação, chega finalmente a Portugal, numa edição Guerra e Paz traduzida por João Carlos Barradas, este documento fundamental para compreender porque falharam os ideais comunista e socialista que marcaram o século XX.

Disponível na rede livreira nacional a partir do dia 22 de novembro de 2022, Arrogância Fatal – Os Erros do Socialismo integra a coleção «Os Livros Não se Rendem», que resulta de uma parceria com a Fundação Manuel António da Mota, a Mota Gestão e Participações e a mediadora de seguros Novus Tempus.

Em 1988, Friedrich A. Hayek, considerado um dos principais proponentes do liberalismo económico, que inspirou as governações de Ronald Reagan e de Margaret Thatcher, afirmou no ensaio Arrogância Fatal – Os Erros do Socialismo que o socialismo, «apesar de inspirado pelas melhores intenções e dirigido por algumas das pessoas mais inteligentes da atualidade, põe em risco o nível de vida e a própria vida de grande parte da população existente».

Na obra, o filósofo e economista aborda os principais erros dos regimes inspirados nos ideais comunista e socialista, analisando temas como as origens da liberdade, da propriedade e da justiça, a revolta do instinto e da razão, o misterioso mundo do comércio e do dinheiro ou a linguagem envenenada e a ambiguidade terminológica.

Recorrendo ao pai do socialismo, o autor sublinha ainda que «Karl Marx tinha razão ao afirmar que o “capitalismo” criara o proletariado; deu-lhe e dá-lhe vida. É, no entanto, completamente absurda a ideia de que os ricos extorquiram aos pobres o que, sem tais atos de violência, seria seu ou, pelo menos, poderia ter-lhes pertencido.» Acrescenta o autor que é de uma «arrogância fatal» a ideia de que «o homem é capaz de moldar o mundo ao seu redor de acordo com os seus desejos», afirmando que as civilizações apenas cresceram porque deram importância a valores como a propriedade privada e que a humanidade só avança quando os indivíduos têm liberdade para tomar as suas próprias decisões.

Um clássico fundamental para as áreas da filosofia, economia e história, a obra tem vindo a ser aplaudida e citada ao longo das últimas três décadas. O economista David R. Henderson escreveu na revista norte-americana Fortune: «A conquista de Arrogância Fatal é que mostra porque o socialismo deve ser refutado, em vez de simplesmente descartado – e, então, refuta-o novamente.»

É tempo de os leitores portugueses o lerem na edição que agora chega à rede livreira nacional com a chancela da Guerra e Paz e o selo «Os Livros Não se Rendem», coleção apoiada pela Fundação Manuel António da Mota, a Mota Gestão e Participações e a mediadora de seguros Novus Tempus e que reúne grandes ensaios da história, filosofia e economia nunca antes publicados em Portugal.

Recentemente inaugurada por duas traduções inéditas, de O Crisântemo e a Espada: Padrões da Cultura Japonesa, de Ruth Benedict, e Os Últimos Dias de Hitler, de Hugh Trevor-Roper, a coleção tem como um dos pontos de honra a oferta de cerca de 250 exemplares de cada um dos títulos publicados à rede pública de bibliotecas.

Arrogância Fatal – Os Erros do Socialismo

Friedrich A. Hayek
Não-Ficção / Política
248 páginas · 15x23 · 17 €

Agenda
Exposições

"Filhos de 74"

APOIARTE - Casa do Artista 12 Abr a 30 Jun 2024

Ver mais eventos

Passatempos

Passatempo

"A GRANDE VIAGEM 2: ENTREGA ESPECIAL"

Em parceria com a PRIS Audiovisuais, oferecemos convites duplos para as antestreias agendadas para 21 de abril (domingo) às 11h00, em Gaia e Lisboa. Participe e habilite-se a ser um dos felizes contemplados!

Passatempo

Ganhe convites duplos para o ciclo de cinema da ANIMar 19

Em parceria com a Solar - Galeria de Arte Cinemática, oferecemos convites duplos para as próximas sessões de cinema da ANIMar 19 no Teatro Municipal de Vila do Conde, onde serão exibidos os filmes "Pesca do Bacalhau", "Å Seile Sin Egen SJØ (Vida Costeira)", "A Extraordinária Aventura do Zéca" e "Até Amanhã, Mário".

Passatempo

Ganhe convites para a peça "A LIBERDADE É UMA MALUCA"

Em parceria com o Teatro do Bairro, oferecemos convites duplos para uma peça escrita e encenada por Hugo Mestre Amaro que, evidenciando o impacto de algumas decisões políticas e ocorrências sociais no contexto da vida privada, constitui uma sátira que intenta ser um retrato de um Portugal herdeiro, nestas últimas cinco décadas, da Revolução dos Cravos. Findo o passatempo, anunciamos aqui os nomes dos vencedores!

Visitas
90,671,306