"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Publicações

Politólogo português apresenta análise pluridisciplinar da mobilização totalitária de Hitler

O que destingiu o nazismo de Hitler do nacionalismo alemão? Como conquistaram os nazis as mais variadas franjas do eleitorado alemão?

Quais eram as aspirações locomotoras do regime? E que palco tinha a obsessão racial na sua base ideológica? Procurando aliar rigor científico e legibilidade, Henrique Varajidás, professor e investigador na área da ciência política, apresenta-nos, no livro A Vertigem Nazi: Fins e Meios no Regime de Hitler, respostas sólidas para estas e outras questões, reconstruindo, a partir de uma vasta gama de fontes, os móbeis, a marcha vertiginosa e as perspetivas do nazismo, entre 1919 e 1941. A Vertigem Nazi chega à rede livreira nacional estando, desde já, disponível em pré-venda no site da editora.

Neste seu invulgar A Vertigem Nazi: Fins e Meios no Regime de Hitler, Henrique Varajidás procurou distanciar-se das habituais lições morais e civilizacionais a retirar dos atos hediondos do regime de Hitler. Aqui o foco, diz, «não é “a História pela História” […], é determinar de modo tão frio e objetivo quanto possível: primeiro, os verdadeiros fins do regime enquanto artefacto político (isto é, os fins que os seus líderes de facto, e não dirigentes secundários, críticos ou opositores, lhe atribuíam); e, segundo, a sua capacidade para perseguir e atingir esses fins».

Para chegar a esse compromisso, o autor, doutorado em Ciência Política e Relações Internacionais, partiu para uma profunda investigação que respondesse a questões-chave para compreender o quão apto a precisar, perseguir e atingir os seus fins se pode dizer, afinal, que o regime de Hitler era, antes de se ter «afastado cada vez mais da possibilidade de concretizar sequer um simulacro das suas intenções originais, descontrolando?se por entre uma obsessão sisifiana», e de embarcar em «aventuras diplomático?militares suicidas».

Que ideias distinguiam Adolf Hitler no seio do nacionalismo alemão? Qual o lugar da ideologia racial na respetiva hierarquia de prioridades? Que relações estabeleceram os nazis com as elites e massas alemãs? Que políticas concretas – na segurança interna, sociedade, economia, cultura e política externa – começaram por animar o seu regime? Em que medida as intenções originais embutidas nessas políticas se foram concretizando no decurso dos anos 30 do século XX? Qual a relação dessas aspirações com a escalada de radicalização e expansionismo de 1938 a 1941?

Um livro acessível, mas com alto valor académico, que resulta de uma rigorosa investigação, A Vertigem Nazi: Fins e Meios no Regime de Hitler é uma edição Guerra e Paz.

 A Vertigem Nazi: Fins e Meios no Regime de Hitler

Henrique Varajidás
Não-Ficção / História
256 páginas · 15x23 · 17 €

Agenda
Ver mais eventos
Visitas
93,302,883