"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Publicações

Capitalismo: ameaça ou solução?

Repensar o Capitalismo para Salvar a Humanidade é a proposta de Rebecca Henderson.

O capitalismo de mercado livre é uma das mais impactantes invenções da humanidade e a sua maior fonte de prosperidade. Mas esse sucesso carrega graves consequências. O mesmo sistema que gera riqueza está, gradualmente, a contribuir para a destruição do planeta e para a desestabilização da sociedade. Rebecca Henderson defende que o tempo para agir se está a esgotar e que é imperativo Repensar o Capitalismo para Salvar a Humanidade. O livro chega agora a Portugal com a chancela da Ideias de Ler.

Professora na Universidade de Harvard, uma de três “Diretores Excecionais” para o Financial Times em 2019 e especializada na inovação e mudança organizacional, Rebecca Henderson defende que se todas as empresas do planeta adotassem um propósito além do lucro imediato, perseguissem uma estratégia de valor compartilhado e fossem apoiadas por investidores sofisticados e comprometidos com o longo prazo, isso já se traduziria num enorme avanço, mas nem de longe o suficiente para resolver grandes problemas, como as mudanças climáticas. Muitos desses problemas são verdadeiramente coletivos – resolvê-los beneficiaria todos, mas nenhuma empresa tem a capacidade de o fazer sozinha.

Repensar o Capitalismo para Salvar a Humanidade pretende apontar caminhos que as empresas, as instituições e os governos podem seguir para tornarem o sistema mais justo, equilibrado, sustentável e humano, indo ao encontro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU. Para o fazer, apresenta propostas de ação, exemplos de corporações e empreendedores que já estão a seguir esta via e, a cada leitor e cidadão, deixa ainda seis conselhos: descobrir a sua missão; levar os seus valores para o emprego; trabalhar no setor público; envolver-se nas decisões políticas; cuidar da própria saúde e bem estar e, por último, procurar alegria. São propostas simples mas essenciais e realmente eficazes para que todos – cidadãos individuais, instituições privadas e governos – contribuam para um futuro não só mais sustentável, saudável e feliz, mas também mais próspero.

SOBRE O LIVRO
Repensar o Capitalismo para Salvar a Humanidade
Menos de 1% da população mundial detém quase metade da riqueza global, enquanto os recursos naturais diminuem e as alterações climáticas ameaçam a vida. Isso deve-se ao capitalismo desenfreado, que busca o lucro a qualquer custo, mas que também tem o potencial de criar uma sociedade mais justa.
Em Repensar o Capitalismo para Salvar a Humanidade, Rebecca Henderson, economista de Harvard, argumenta que devemos reformar o capitalismo para atender às necessidades urgentes do planeta e da humanidade. Através de exemplos de empresas e empreendedores que trabalham para criar um sistema mais equilibrado e sustentável, a autora apela a todos - empresas, governos e indivíduos - que se unam na transformação do capitalismo e na construção de um futuro mais justo, seguro e próspero.  

Título: Repensar o Capitalismo para Salvar a Humanidade
Autor: Rebecca Henderson
Tradução: Miguel Marques da Silva
Páginas: 328
PVP: 19,99€

Ver primeiras páginas  

SOBRE A AUTORA

Rebecca Henderson
Rebecca Henderson é Professora da Cátedra John and Natty McArthur na Universidade de Harvard, onde leciona “ Reimagining Capitalism: Business & the Big Problems”, do programa de MBA da Harvard Business School. É investigadora no National Bureau of Economic Research e membro da British Academy e da American Academy of Arts and Sciences. Perita em inovação e mudança organizacional, tem-se debruçado sobre o papel do setor privado na construção de uma economia mais sustentável, focando-se na relação entre missão organizacional, inovação e produtividade em organizações de alto desempenho. Tem assento na administração da CERES, da Amgen e da Idexx Laboratories e, em 2019, foi nomeada um dos três “Diretores Excecionais” pelo Financial Times. Tem inúmeros trabalhos publicados, incluindo em diversos dos mais reputados jornais académicos. Também toca violoncelo, não muito bem, mas com muito entusiasmo. 
Agenda
Ver mais eventos

Passatempos

Visitas
92,152,758