"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Notícias

Festivais Gil Vicente promovem a tolerância através do teatro

O evento conta com uma série de apresentações em que vários temas da sociedade atual são alvo de reflexão, entre eles o racismo, imigração e identidade de género.

"Blackface" aborda o racismo e é um dos destaques do programa. Foto: Oficina

Destaque para "Blackface", uma peça a solo com recurso à sátira e a fantasia, que explora a prática artística em que artistas brancos pintavam a cara de negro, tratando a comunidade negra como inferior. Também "Vai para a tua terra" aborda a temática da xenofobia.

É através da abordagem "acutilante" a estes temas "que se cria a tolerância, a abertura da discussão, a relação com estes modos de existir, porque eles são tão válidos quanto os outros", defende o diretor artístico.

"O teatro tem um poder de unir as pessoas em torno de uma nova construção social, sugerindo caminhos possíveis para a construção dessa realidade", completa Rui Torrinha.

Esta ideia é aplicada nas escolas com a dinamização de conversas entre encenadores e alunos, o que permite estabelecer desde cedo o contacto dos mais jovens com o mundo do teatro.

Esta importância dada aos jovens é também visível em alguns dos trabalhos apresentados, que se destacam pela interatividade com o público. Um dos exemplos é "Vi o Aryton Senna morrer nos olhos do meu irmão", de Bruno dos Reis, em que "o público tem o poder decidir qual é o final da peça que quer ver", conta.

"Há uma subvalorização da importância da cultura"

Para o diretor artísticos dos Festivais de Gil Vicente, "a cultura não está a ser aplicada como deveria, enquanto instrumento político para a alteração destas assimetrias e para a criação de valor em territórios que estão desertificados".

O agente cultural considera que não tem havido uma aposta por parte do governo em levar a cultura para fora dos grandes centros.

"O problema aqui que se coloca é da falta de apoios", diz Torrinha, considerando que deveria existir "um incentivo à deslocação das comunidades artísticas para territórios mais desertificados".

O fechar do pano dos "Festivais Gil Vicente" acontece a 15 de junho.

>> Saiba mais AQUI 


in Renascença | 6 de junho de 2024
Notícia no âmbito da parceira Centro Nacional de Cultura | Rádio Renascença

Agenda
Ver mais eventos
Visitas
93,303,035