"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Festivais

1ª edição do SINGULAR

Ciclo de criação artística pluridisciplinar começa já no próximo dia 19 de outubro e estende-se até ao dia 12 de dezembro em Castelo Branco, apresentando 7 momentos, entre espetáculos, instalações e performance na Fábrica da Criatividade, um novo espaço do município dedicado à criação artística e a projetos na área das indústrias criativas. 

19 Out a12 Dez

Fábrica da Criatividade de Castelo Branco
Alameda do Cansado, 14B
Castelo Branco

Caracterizada pelo cruzamento de várias disciplinas artísticas, a programação do SINGULAR tem uma forte componente urbana, contemporânea e experimental e pretende afirmar-se como um projeto inovador no panorama cultural desta região.

O ciclo arranca no dia 19 de setembro com a instalação de João Dias, FREEZING MASS, uma obra escultórica site-specific com estruturas leves e de grande escala, que vai estar patente na fachada exterior do edifício da Fábrica da Criatividade, até ao dia 12 de dezembro.

Gustavo Costa, músico e compositor vai apresentar PHOBOS, uma instalação sonora composta por um conjunto de pequenos robots e dispositivos de geração automática de música, que se agregam numa Orquestra Robótica Disfuncional, uma orquestra de estranhos instrumentos com defeitos, mutações genéticas e comportamentos errantes. A instalação inaugura no dia 29 de outubro às 21h30 e pode ser visitada até ao dia 11 de novembro.

No dia 11 de novembro, a dupla Sara Vaz e Marco Balesteros apresentam ENSAIOS PARA LIVRO-CARACTERE, uma investigação sob a forma de ensaios, que abordam a Luz e o Corpo como personagens que assumem uma forma cénica e simultaneamente editorial.

O coletivo LAMA leva ao palco do auditório da Fábrica da Criatividade, no dia 18 de novembro, ROMEU e ROMEU, um espetáculo que parte da obra de Shakespeare para criar um lugar de provocação.

Outro espetáculo em estreia absoluta é SILÊNCIO, pela associação cultural Coletivo, no dia 25 de novembro. Esta é uma performance que nasce a partir da obra de 1973 de Rúben A, Silêncio para 4, onde atriz e espectador marcham sobre um manifesto cívico e político.

A programação do SINGULAR é também marcada pela formação, estando assim agendado um workshop de dramaturgia nos dias 5 e 6 de dezembro, intitulado EN-SAI-O. Nesta oficina, desenvolvida por Ricardo B. Marques, o objetivo é olhar para o que habitualmente faz parte do nosso modo operativo e do nosso quotidiano e partir daí para a criação de algo diferente.

Para terminar a primeira edição deste ciclo, no dia 12 de dezembro, haverá a apresentação pública de O ESPAÇO CURA TUDO, pelo coletivo Os Espacialistas, que nas ruas da cidade de Castelo Branco vão ao encontro do lugar do corpo e das suas ligações com as circunstâncias presentes. Esta apresentação acontece depois de uma residência artística deste projeto de mediação transdisciplinar das ligações entre arte, arquitetura e educação.

Com direção artística de Ana Gil e Nuno Leão, SINGULAR é uma das novidades da Terceira Pessoa, estrutura sediada em Castelo Branco, que pretende iniciar uma rede de parcerias mais íntima e próxima no diálogo com criadores e projetos.

O objetivo deste ciclo é desenvolver um trabalho de inovação e criação artística e contribuir também para o aparecimento de novas propostas de criação contemporânea, em contextos onde a regularidade das mesmas ainda escasseia, oferecendo-se ao mesmo tempo aos criadores e aos projetos oportunidades de circulação e de trabalho em residência artística.

A proposta de programação do SINGULAR apresenta uma transversalidade nas diversas manifestações artísticas ao nível estético conjugada com criadores emergentes e de valor reconhecido.

Passatempos

Visitas
54,552,171
>