"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Festivais

Amadora BD

De 21 de outubro a 1 de novembro, o Amadora BD vai acolher, nos 3 espaços do Festival, inúmeras exposições e receber mais uma dezena de autores internacionais

21 Out a1 Nov

Amadora

 

Mulher-Maravilha, Lucky Luke, História do Mangá, Michel Vaillant e Luís Louro são alguns dos destaques no Núcleo Central que, este ano, se localiza no Ski Skate Amadora Park

Jorge Miguel: Um olhar cinematográfico e Marcello Quintanilha. Uma Retrospetiva, ambas em exibição na Galeria Municipal Artur Bual, e Desvio (a obra vencedora do Prémio para Melhor Ilustrador Português, da edição de 2020 dos Prémios de Banda Desenhada da Amadora), patente na Bedeteca da Amadora, completam os destaques de programação da edição 2021 do Amadora BD

 

80 Anos de Diana, a Mulher-Maravilha: Guerreira e Pacifista

Oito décadas depois da sua criação, a Princesa Diana da Ilha de Themyscira, mais conhecida como Mulher-Maravilha, continua tão ou mais relevante do quando apareceu em 1941.

Uma das maiores guerreiras do universo fictício da DC Comics, a super-heroína de origem greco-romana foi incumbida, pelos deuses da mitologia grega e pelas suas irmãs amazonas, de trazer a paz e a fraternidade ao Mundo. Defendendo os valores democráticos e pacifistas da cultura helenística e da sociedade feminista da sua terra-natal, a natureza dicotómica da Mulher-Maravilha foi inspiração para muitos artistas de banda desenhada tendo contribuído fortemente para a preservação da personagem ao longo de oito décadas. O que era uma estranha mistura de guerra e paz, transformou a Mulher-Maravilha num dos mais poderosos arquétipos do Universo DC, ao lado do Super-Homem e do Batman, perfazendo a Santíssima Trindade da editora de banda desenhada dos EUA.

A acompanhar esta exposição retrospetiva, marcarão presença no Amadora BD 2021 alguns dos mais conceituados ilustradores da DC Comics que se destacam pelo trabalho desenvolvido com a personagem: o catalão Álvaro Martínez Bueno e os portugueses Miguel Mendonça e Daniel Henriques.

 

75 Anos de Lucky Luke: os herdeiros de Morris

No ano em que comemora o seu 75º aniversário, o cowboy mais popular da história da banda desenhada regressa ao Amadora BD com uma exposição que homenageia os autores que tiveram a “ingrata” missão de suceder ao criador do personagem.

Após o falecimento de Morris em 2001, Achdé deu continuidade ao desenho da série clássica e outros criadores (como Matthieu Bonhomme, Bouzard e Mawil) desenvolveram abordagens mais pessoais do cowboy que dispara mais rápido do que a sua própria sombra. São estas diferentes visões do icónico personagem que irão estar em destaque nesta exposição que trás ao Amadora BD 2021  Achdé e Mawil.

 

A História do Mangá

Em japonês “mangá” refere-se a toda a banda desenhada em geral, no entanto, no ocidente, o termo apenas é utilizado quando nos referimos à banda desenhada com caraterísticas muito especificas da cultura japonesa.

A história e evolução deste tipo de banda desenhada – criada na tradição ocidental e que não esquece as características tradicionais japonesas – é pela primeira vez destaque no Amadora BD apresentando uma exposição que nos faz viajar até ao Japão do Século VIII e às origens do mangá.

 

Michel Vaillant: o (próximo) desafio

Michel Vaillant é um nome incontornável no universo da banda desenhada europeia mas também no mundo automobilístico. O seu criador, Jean Graton, concebeu um universo em torno de uma grande família de construtores automóveis e as suas histórias, inspiradas em factos, cenários e grandes acontecimentos automobilísticos reais, misturam o herói Michel com verdadeiras personagens do mundo automóvel. 

Alvo de curiosidade de inúmeros autores – como Benjamin Beneteau e Marc Bourgne que este ano marcam presença no Amadora BD – a série Michel Vaillant integra inúmeras referências a Portugal com aventuras passadas no nosso país. Rally em Portugal, O Homem de Lisboa ou Encontro em Macau, são algumas das histórias que farão parte da exposição que marca o regresso do Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora (FIBDA) ao modo presencial.

 

Corvo V: Inimigos Íntimos

Luis Louro – vencedor do Prémio de Melhor Obra de BD de Autor Português, na edição de 2020 do Prémios de Banda Desenhada da Amadora – apresenta-nos nesta exposição o quinto volume das aventuras do seu mais icónico personagem, criado em 1994: o Corvo.

O Corvo V – Inimigos Íntimos é uma viagem (intensa e surpreendente) pela (sub)consciência de Vicente e que nos conta como personagens e traumas do passado fizeram nascer o herói mais inconsciente de todos os tempos. (Quase) sempre com a noite da sua Lisboa como cenário, o Corvo combate os seus temíveis inimigos alados e os malfeitores mais inesperados. Será Vicente capaz de encontrar ajuda para enfrentar os seus próprios demónios? Conseguirá ele escapar à tentação? Vamos finalmente descobrir o segredo das chamuças do Corvo?

 

O bom filho à casa torna. Retrospetiva de Jorge Miguel.

Nascido na Amadora, Jorge Miguel construiu a sua carreira na banda desenhada e ilustração. Desde 2012 – fruto da sua colaboração com a editora Humanöides Associés – o trabalho do desenhador é mais conhecido em França e nos E.U.A. do que no seu próprio país pelo que esta primeira exposição retrospetiva, na terra que o viu nascer, vem corrigir essa lacuna. Apresentar as diferentes facetas do trabalho de Jorge Miguel em artes gráficas, banda desenhada, ilustração e pintura é o objetivo desta mostra bem representativa da quantidade e qualidade da obra de Jorge Miguel.  Na exposição, destaque para os seus dois últimos trabalhos para o mercado francês: Shanghai Dream (editado em Portugal em 2020) e Sapiens Imperium (a lançar no decorrer do Festival).

 

Marcello Quintanilha. Uma Retrospetiva.

Marcello Quintanilha nasceu no Rio de Janeiro (Brasil) e iniciou a sua carreira em 1988 assinando, desde então, bandas desenhadas em publicações como O Estado de São Paulo, Le Monde, Heavy Metal, Internazionale, entre outras.

Diretor de animação, colabora regularmente como ilustrador em jornais e revistas (como La Vanguardia, El País ou Playboy) e assina igualmente desenhos da série Sept Balles pour Oxford. É autor dos álbuns Fealdade de Fabiano Gorila, Tungstênio (obra também adaptada ao cinema), Talco de Vidro, O ateneu, Hinário Nacional, Luzes de Niterói, Folia de Reis lançados em Portugal pela editora Polvo

Em 2021 lança Escuta, Formosa Márcia (Polvo Editora) e marcará também presença na atual edição do Festival Amadora BD.

 

Desvio, de Bernardo P. Carvalho e Ana Pessoa

Obra vencedora do Prémio para Melhor Ilustrador Português, da edição de 2020 dos Prémios de Banda Desenhada da Amadora, promovidos pelo Amadora BD.

É verão. Os pais foram de férias e os seus amigos também… A namorada pediu-lhe um tempo e Miguel tem a casa só para si. Vê televisão, joga computador, lê o livro de código e o mundo parece suspenso no meio do calor. “Tudo o que quero é que nada aconteça. Que tudo permaneça como está. O planeta muito quieto. Com a sua lei da gravidade, as suas regras de trânsito.” Onde irá dar este desvio?

 



Sobre o Amadora BD
Criado em 1989, o Amadora BD é uma iniciativa da Câmara Municipal da Amadora, que tem por objetivo promover a banda desenhada. Organizado ininterruptamente desde a sua criação, o Amadora BD é o mais importante festival de banda desenhada em Portugal e um dos mais aclamados a nível europeu.
A programação anual reúne autores, editores, agentes e colecionadores de diferentes nacionalidades em sessões de autógrafos, exposições, lançamentos, oficinas e apresentações. No âmbito do Amadora BD, os Prémios de Banda Desenhada da Amadora, distinguem, todos os anos os autores e os jovens que se destacam no panorama da Banda Desenhada. 

Facebook | Instagram

Agenda
Teatro e Dança

Feira de Outubro

AMAS - Auditório Municipal António Silva 27 Nov   |  21h00

Concertos

Maria Reis

Teatro Viriato 27 Nov   |  21h00

Ver mais eventos

Passatempos

Visitas
62,830,199
>