"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Resoluções contra o terrorismo, que efeito?, por Maria João Seabra

Nações Unidas; Afeganistão; Conselho de Segurança; Ordem Internacional; Direitos Humanos; ISAF

Os ataques terroristas de 11 de setembro e a consequente resposta da administração Bush vem abalar o já enfraquecido otimismo numa nova ordem internacional, marcada pelo respeito pelos direitos humanos, pelo multilateralismo e pela afirmação crescente de organismos de regulação internacional capazes de organizar e fazer vingar regras comummente definidas e aceites. No rescaldo destes eventos importa, para além do predomínio assumido pela resposta militar liderada pelos Estados Unidos, igualmente analisar o comportamento e a atuação das Nações Unidas: até que ponto estiveram à altura da situação exigida pelos novos conflitos, que medidas desenvolveram no âmbito da segurança e da defesa, tanto antes como depois da data fatídica, que papel poderão vir a ter no futuro próximo, tanto em relação à luta contra o terrorismo como em relação ao Afeganistão, até agora o palco central desta luta.

Data 2002-02-01
OBS SEABRA, Maria João. "Resoluções contra o terrorismo, que efeito?". Mundo em Português: Lisboa. IEEI. Nº 29 (2002). págs.
Dimensão do suporte 4 págs.
Idioma Português