"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Património Material

Igreja de S. Francisco

Distrito: Évora
Concelho: Évora

Localização
Évora
Tipo de Património
Património Material
Classificação
Monumento Nacional
Proteção Jurídica
16-06-1910, DG 136 de 23-06-1910
Identificação Patrimonial
Monumento/Edifício
Época(s) Dominante(s)
Moderna (Séc. XV a XVIII)
Estilo(s)
Gótico, Manuelino, Mudéjar, Renascença, Maneirismo, Barroco, Rococó, Neoclássico
Uso atual
Religioso (igreja de confraria, irmandade) / Cultural e recreativa (monumento)
Proprietário/Instituições responsáveis
Privada: Igreja Católica
Equipa Técnica
Pároco: Padre Manuel Ferreira da Silva
Descrição


Classificada como monumento nacional, a Igreja de S. Francisco é uma das mais emblemáticas de Évora e onde se localiza a célebre Capela dos Ossos, macabra conceção fradesca completamente forrada por milhares de ossadas humanas recolhidas dos antigos cemitérios da cidade e também muito visitada por turistas.

Igreja imponente, mandada edificar por D. João II, no séc. XV (1480-1510), sobre um templo gótico de três naves, foi concluída durante o reinado de D. Manuel I.

Apesar de ter sofrido posteriores remodelações, é considerada um exemplo bem representativo do estilo gótico-manuelino da região. Nesta obra trabalharam os mestres Martim Lourenço, Afonso de Pallos, os Arrudas, Pero de Trilho e Diogo de Torralva, além dos pintores régios, flamengos e portugueses, dirigidos por Francisco Henriques.

A fachada encontra-se coroada por ameias chanfradas e coruchéus cónicos ou torsos, apresenta gárgulas zoomórficas e é antecedida por uma ampla galilé, coberta por uma abóbada de aresta. Esta ostenta uma cruz de Cristo e assenta sobre sete arcos diferentes, alguns de ferradura, o que lhe dá uma feição gótico-mourisca.

O portal, quinhentista, apresenta um mainel de coluna semitorsa, colunas e arcos manuelinos de mármore. Por cima está um escudo com o pelicano de D. João II e a esfera armilar de D. Manuel, mecenas deste monumental empreendimento.

O interior é majestoso, de nave única (36 m de comprimento, por cerca de 13 m de largura), com seis largos tramos, de aspeto majestoso e única no seu género no país, com planta em cruz latina e cobertura em abóboda de ogiva. Nas paredes da nave encontram-se curiosas capelas encaixadas entre os contrafortes e adornadas de talhas clássicas, barrocas e rococó.

A abside, que mantém a estrutura manuelina, recebeu em 1773 o novo altar-mor, esculpido em mármores alentejanos, na tradição clássica e executado a expensas do cónego António Landim Sande.

O cruzeiro está decorado com exemplares de pintura primitiva portuguesa, representando santos franciscanos e anjos-custódios de Portugal, atribuídos a Garcia Fernandes, assim como um políptico maneirista que representa o Calvário, de autoria do pintor eborense Francisco João. A imagem setecentista de S. Bruno veio do Convento da Cartuxa.

As paredes da capela da Ordem Terceira de S. Francisco estão revestidas por azulejos e telas com cenas historiadas, podendo ver-se aí um retábulo barroco, em talha dourada e policroma, com colunata salomónica, do séc. XVIII, executado pelo mestre entalhador lisbonense Manuel Nunes da Silva, segundo contrato de 1727.

A capela-mor, terminada no reinado de D. Manuel, mantém a cobertura de cruzaria ogival e as frestas primitivas, manuelinas, e as tribunas reais, em estilo renascença. É possível, igualmente, ver-se um monumental altar neoclássico, em calcário policromo, datado de 1773, que veio substituir o primitivo retábulo de pintura gótica, de Francisco Henriques e Olivier de Gand.

Encontram-se em ruínas o primitivo claustro gótico, de arcadas duplas geminadas, em mármore e granito, construído em 1376 pelo comendador de S.Tiago, Afonso de Morais, a ermida de S. Joãozinho, com um portal clássico e uma rara imagem do Anjo das Misericórdias e, finalmente, em anexo, a Capela dos Ossos.

Esta capela, edificada entre o final do séc. XVI e o início do séc. XVII, é uma macabra curiosidade dessa altura, local de oração e meditação da antiga comunidade franciscana. Compõe-se de três naves, separadas por colunas, totalmente revestidas por milhares de ossadas humanas recolhidas dos antigos cemitérios monásticos da cidade, durante a época filipina.

Em anexo está um lanço de um belo claustro gótico edificado em 1376, com o patrocínio de D. Fernando Afonso de Morais, cavaleiro da Ordem de Santiago. Em 1536, realizaram-se aqui as últimas Cortes da cidade de Évora.

A comunidade franciscana de Évora foi instituída no reinado de D. Afonso III, cerca de 1250, altura em que foi edificado o convento, o qual teve a proteção real de D. João I e dos seus sucessores. Em 1439, D. Afonso V obteve licença papal e da Ordem Franciscana para instalar no edifício o Paço Real, o que veio dar grandiosidade ao imóvel, na altura denominado "Convento de Oiro".

Núcleos mais importantes
Capela dos Ossos.
Modo de funcionamento

Horários
Aberto todos os dias exceto: 1 de janeiro; Domingo de Páscoa; 24 de dezembro à tarde; 25 de dezembro

OS HORÁRIOS ALTERAM NO DIA DA MUDANÇA DA HORA LEGAL
Hora legal de VERÃO das 9:00 às 18:30 (última entrada)
Hora legal de INVERNO das 9:00 às 17:00 (última entrada)

Eucaristias
Segundas a Sábados às 11:30
Domingos às 09:00 e às 12:00

Preços
Bilhete único para visitar a Capela dos Ossos, o Núcleo Museológico e a Coleção de Presépios
5,00€ Adulto
3,50€ Jovem até aos 25
3,50€ Senior maiores de 65
12,50€ Família 2 adultos + jovens

Marcação de Visitas em grupo
Os Guias-Intérpretes, Agências, Instituições ou Particulares que queiram entrar com prioridade devem marcar as visitas com antecedência.
São aceites marcações para grupos de 25 pessoas no máximo, com entradas às meias-horas, i.e. 9:00, 9:30, 10:00,… até às 18:00.
Os bilhetes devem ser comprados antes pelo responsável e o grupo deve apresentar-se há hora marcada, para entrar imediatamente.

Para mais informações contacte a Bilheteira pelo telefone 266 704 521 ou por email info@igrejadesaofrancisco.pt

Morada
Praça 1º de Maio
7000-650 São Pedro, Évora
Telefone
+351 266 704 521
Fonte de informação
CNC / Patrimatic
Bibliografia
ALMEIDA, José António Ferreira de (orientação e coordenação), Tesouros Artísticos de Portugal, Selecções do Reader's Digest, Lisboa, 1982.
ALVES, Afonso Manuel, Évora a Cal e a Pedra, Publicações D. Quixote, Lisboa, 1990.
ESPANCA, Túlio, Évora - Encontro com a Cidade, Câmara Municipal de Évora, Évora, 1988.
LOPES, Flávio (coord.), Património Classificado - Arquitectónico e Arqueológico - inventário, vol. I, IPPAR, Lisboa, 1993.
Data de atualização
19/05/2022
Agenda
Ver mais eventos

Passatempos

Passatempo

Ganhe convites para o festival Curtas Vila do Conde

Em parceria com o Curtas Vila do Conde, oferecemos convites duplos para as sessões de cinema a decorrer dia 13 de julho, no Teatro Municipal de Vila do Conde, onde serão exibidos os filmes "O Segredo dos Perlimps", "Uma Imagem Permanente" e "Estamos no Ar".Findo o passatempo, anunciamos aqui os nomes dos vencedores!

Passatempo

Ganhe convites para a antestreia do filme "Memória"

Em parceria com a Films4You, oferecemos convites duplos para a antestreia do drama emocional protagonizado por Jessica Chastain, "MEMÓRIA", sobre uma assistente social cuja vida muda completamente após um reencontro inesperado com um antigo colega do secundário, revelando segredos do passado e novos caminhos para o futuro.

Visitas
94,042,710