"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Património Material

Igreja de Nossa Senhora da Conceição (Sé Catedral de Santarém)

Distrito: Santarém
Concelho: Santarém

Tipo de Património
Património Material
Classificação
Monumento Nacional
Proteção Jurídica
Decreto nº 3027 de 14-3-1917; Z.E.P., D.G., 2ª Série, nº 10 de 13-1-1960
Identificação Patrimonial
Monumento/Edifício
Estilo(s)
Maneirismo, Barroco
Uso atual
Paço episcopal, culto religioso, livraria
Proprietário/Instituições responsáveis
Diocese de Santarém
Descrição

Em 1647, D. João IV doa as ruínas dos antigos paços reais aos Jesuítas, para que estes aí instalem o seu Colégio. Como contrapartida, competia à ordem remodelar os paços reais, permitindo que a corte aí se continuasse a instalar nas suas deslocações a Santarém. Em 1711 estão terminadas as obras, e construída a Igreja de Nossa Senhora da Conceição, hoje em dia conhecida como Igreja do Seminário. 

Com a expulsão da Companhia de Jesus levada a cabo pelo Marquês de Pombal, o Colégio é entregue ao Patriarcado sendo instalado o Real Colégio de Nossa Senhora da Conceição, ou Seminário Patriarcal de Santarém. Funcionou aí durante anos a Academia dos Laureados, e mais tarde a Academia Scalabitana, onde se juntavam escritores, poetas e artistas em geral. De 1853 a 1942 serviu como Liceu Nacional de Santarém. Atualmente, já perdida a função de seminário, foi elevada a Sé Catedral e Paço Episcopal da Diocese de Santarém.

A fachada da Igreja é maneirista, do chamado "estilo-chão", de linhas sóbrias, mas elaboradas. A frontaria está segmentada verticalmente em cinco corpos, divididos por pilastras. Longitudinalmente, os quatro andares são cingidos por calabres de pedra de estilo manuelino.

O corpo inferior é rasgado por três portais e sobre o portal central está um baixo-relevo com o símbolo da Companhia. Os dois pisos intermédios da fachada têm janelões nos corpos interiores, e nichos nos exteriores. Nos quatro nichos da fachada encontram-se as imagens de Santo Inácio de Loyola, fundador da Companhia de Jesus, S. Francisco Xavier, S. Francisco de Borja e S. Luiz Gonzaga. 

No último andar, encontra-se um nicho envidraçado com a escultura de Nossa Senhora da Conceição, uma imagem em cerâmica de cerca de 2 metros. A coroar o edifício pode ver-se uma cruz de ferro que terá sido aqui colocada em 1787, em substituição da original, em pedra, que caíra com o terremoto de 1755.

A nave é coberta por um teto pintado a óleo, que procura o impacto cenográfico, tão característico do barroco; a pintura é alusiva a Imaculada Conceição. A capela-mor, onde está sepultado o fundador da igreja, D. Duarte da Costa, é abobadada e ladeada por quatro colunas salomónicas. O retábulo desta capela é sem dúvida uma das peças a destacar da igreja do Seminário, com um rico embutido em pedra jaspe de Sintra, formando um desenho policromo de motivos barrocos, que representa a coroação de Nossa Senhora da Glória.

A igreja está dividida em duas bandas (da Epístola e do Evangelho), com quatro capelas por banda, patrocinadas por famílias ilustres da cidade. Cada capela, tem um estilo individual, formando as oito, no seu conjunto, um rico conjunto de retábulos em talha e mármore, embutidos, baixos-relevos e esculturas sacras de excelente qualidade. De entre as capelas, destaca-se a de Nossa Senhora da Boa Morte, com retábulo de talha dourada figurando o Apocalipse. São igualmente de destacar os claustros, assim como a azulejaria do século XVIII, que surge nas escadarias e corredores do Seminário.

O edifício central é ladeado por dois corpos simétricos. Na época áurea do funcionamento do seminário, na ala Norte conviviam os novos paços régios, com a vivência da própria comunidade religiosa, se bem que em espaços muito bem delimitados. Na ala Sul localizavam-se as salas de aula, em dois andares desenhados em volta de um claustro central, o Pátio das Aulas.

A igreja de Nossa Senhora da Conceição do Seminário, é assim um edifício em que se conjugam duas leituras do estilo barroco. No exterior, a disciplina e equilíbrio do "estilo-chão", numa fachada simplista que não perde, no entanto, a beleza. No interior do edifício, a sumptuosidade do barroco de transição para o século XVIII, com a utilização dos mármores, da talha, de majestosas colunas e das pinturas "tromp d'oeil" de efeito grandioso. É sem dúvida o monumento central da cidade, não só pela sua localização geográfica, mas também pela importância histórica e inegável valor artístico do edifício, e das obras que encerra.

Núcleos mais importantes
Retábulo barroco da capela-mor
Intervenções e Restauros
1952/55 - DGMN realiza obras de pavimentação e iluminação da escadaria.
1972/78 - DGMN efectua trabalhos de conservação, restruturação interna e nova cobertura.
1981/82 - é feita a remodelação do edifício e pintura da fachada.
1995 - IPAAR restaura pinturas dos tectos, e leva e efeito a limpeza da capela-mor e laterais.
Modo de funcionamento
10:00 - 13:00 | 14:00 - 18:00 
Encerra às terças-feiras
Morada
R. Capelo e Ivens, 28
2005-257 Santarém
Telefone
+351 243 304 060
Bibliografia
CUSTÓDIO, Jorge (coord.), Património Monumental de Santarém : Inventário - Estudos Descritivos, Santarém, Câmara Municipal de Santarém, 1996.

LOPES, Flávio (coord.), Património Classificado - Arquitectónico e Arqueológico - inventário, vol. III, Lisboa, IPPAR, 1993.

SERRÃO, Vitor, Santarém, Lisboa, Editorial Presença, Cidades e Vilas de Portugal, 1990.

Data de atualização
17/06/2024
Agenda
Ver mais eventos
Visitas
93,303,742