"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Património Material

Teatro Garcia de Resende

Distrito: Évora
Concelho: Évora

Tipo de Património
Património Material
Proteção Jurídica
5/2002, DR 42, 1ª série-B, de 19-02-2002
Identificação Patrimonial
Monumento/Edifício
Estilo(s)
Luís XVI, Neoclássico
Uso atual
Neste teatro funciona uma Escola de Teatro.
Proprietário/Instituições responsáveis
Centro Cultural de Évora.
Descrição

Teatro construído entre 1881 e 1892, pelos engenheiros Adriano Monteiro e Oliveira e Silva, os quais se inspiraram no Teatro de S. Carlos, de Lisboa, e em modelos de interiores italo-franceses, persistindo o arcaísmo do estilo Luís XVI.
O edifício foi construído com os melhores materiais, acústica e decoração. É composto por um amplo átrio, salão nobre, dezoito camarins e grande varanda de teia, entre outras dependências, espaço público e bastidores da sala principal. As condições de visibilidade reduzem os lugares úteis a cerca de 400, dum total de plateia (com 300), três ordens de balcões, camarotes e galinheiro recuado (onde hoje funciona uma escola de teatro).
Na decoração do vestíbulo, sala de espectáculos, pano de boca e salão nobre trabalharam grandes pintores e estucadores: João Nobre, António Ramalho, Eloy Amaral, Manini, Leandro Braga e os mestres de Afife.
O edifício foi inaugurado em 1892, pela companhia do real teatro de D. Maria II, em cerimónia presidida pelo infante D. Afonso de Bragança, após a qual os fundadores doaram o imóvel à Câmara de Évora, autarquia que teve de alterar o estatuto criado pelas classes aristocráticas e burguesas que o destinavam, apenas, para récitas de gala, ópera e concertos classificados, para conseguir manter o teatro em funcionamento. O proprietário, Francisco Barahona, mecenas local, só quis ficar com um camarote privativo e aposentos anexos.
Após ter atravessado diversos períodos difíceis, inclusivé de abandono, o Município cedeu a mais importante casa de espectáculos do Sul do país, ao Centro Cultural de Évora.

Programas e Projetos
O espaço do teatro já é considerado exíguo para o conjunto de actividades do Cendrev: o palco à italiana não responde às exigências de muitas encenações contemporâneas e falta uma sala para as mesmas. Em 1993, o salão nobre foi ocupado por arquivo e serviços, assim como pelo curso de costureiras de teatro, criado nesse ano.
Para o alargamento das instalações a Câmara ofereceu um terreno, numa área correspondente à do teatro, nas traseiras do mesmo.
O projecto do novo edifício encontra-se inscrito no Plano de Desenvolvimento Regional, com financiamento da Comunidade Europeia, estando previsto um novo tipo de teatro, ateliers, zona de serviços e bar-restaurante.
Morada
Teatro Garcia de Resende, Santo Antão
7000
ÉVORA
Bibliografia
ESPANCA, Túlio, Évora - Encontro com a Cidade, Câmara Municipal de Évora, Évora, 1988.

F., E., "Recuperar o Garcia de Resende", in Diário de Notícias, Lisboa, 3 de Dezembro de 1993.

Data de atualização
18/01/2023
Agenda
Exposições

"Filhos de 74"

APOIARTE - Casa do Artista 12 Abr a 30 Jun 2024

Ver mais eventos

Passatempos

Passatempo

"A GRANDE VIAGEM 2: ENTREGA ESPECIAL"

Em parceria com a PRIS Audiovisuais, oferecemos convites duplos para as antestreias agendadas para 21 de abril (domingo) às 11h00, em Gaia e Lisboa. Participe e habilite-se a ser um dos felizes contemplados!

Passatempo

Ganhe convites duplos para o ciclo de cinema da ANIMar 19

Em parceria com a Solar - Galeria de Arte Cinemática, oferecemos convites duplos para as próximas sessões de cinema da ANIMar 19 no Teatro Municipal de Vila do Conde, onde serão exibidos os filmes "Pesca do Bacalhau", "Å Seile Sin Egen SJØ (Vida Costeira)", "A Extraordinária Aventura do Zéca" e "Até Amanhã, Mário".

Passatempo

Ganhe convites para a peça "A LIBERDADE É UMA MALUCA"

Em parceria com o Teatro do Bairro, oferecemos convites duplos para uma peça escrita e encenada por Hugo Mestre Amaro que, evidenciando o impacto de algumas decisões políticas e ocorrências sociais no contexto da vida privada, constitui uma sátira que intenta ser um retrato de um Portugal herdeiro, nestas últimas cinco décadas, da Revolução dos Cravos. Findo o passatempo, anunciamos aqui os nomes dos vencedores!

Visitas
90,672,886