"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Notícias

"O Movimento das Coisas". Único filme de Manuela Serra chega aos cinemas ao fim de 36 anos


"Documentário poético" sobre o quotidiano da comunidade rural de Lanheses, em Viana do Castelo, estreia-se a 17 de junho.

O filme "O Movimento das Coisas", da realizadora portuguesa Manuela Serra, estreia-se a 17 de junho nos cinemas portugueses, 36 anos depois de ter sido feito, revelou a distribuidora The Stone and The Pilot.

O filme, de 1985, chegará aos cinemas numa cópia restaurada, digitalizada pela Cinemateca Portuguesa, que foi apresentada em outubro passado no Festival Lumière, em França, e também exibida na reabertura da Cinemateca, no passado dia 22 de abril.

"O Movimento das Coisas" é o primeiro e único filme de Manuela Serra, um "documentário poético", como descreve a Cinemateca Portuguesa, sobre o quotidiano da comunidade rural de Lanheses, no concelho de Viana do Castelo.

Começou a ser feito em 1979 e só seria concluído em 1985, tendo tido uma estreia premiada no Festival de Mannheim, na Alemanha, e depois em Portugal, no Festróia. A obra, porém, nunca chegou ao circuito comercial português.

Manuela Serra nasceu em Lisboa, em 1948, estudou cinema em Bruxelas, mas rumou a Portugal logo depois da Revolução de Abril de 1974. Foi assistente de realização e montadora do filme "Deus, Pátria, Autoridade", de Rui Simões, e uma das cofundadoras da cooperativa VirVer, de que se afastaria nos anos de 1980, já durante o processo de filmagem de "O Movimento das Coisas".

A realizadora abandonou o cinema na década de 1990, acusando ainda algum desgaste por nunca ter conseguido fazer um segundo filme, ao qual daria os títulos "Ondas", "Ondulac¸o~es" ou "O Movimento das Ondas", como se lê na nota de imprensa sobre "O Movimento das Coisas".

Em outubro passado, a propósito da exibição em França, Manuela Serra afirmava em entrevista ao jornal Público que sentia tristeza pelo facto de o filme não ter tido estreia comercial, no tempo em que foi feito.

Sobre o fim de um percurso no cinema, Manuela Serra disse na mesma entrevista que uma das justificações foi ter encontrado um meio "marcadamente masculino": "Esse mundo masculino trouxe-me a impossibilidade de me manter no meio: assediada, ignorada, insultada, agredida fisicamente. Portanto, tinha é que me retirar".

"O Movimento das Coisas" estrear-se-á a 17 de junho, no Cinema Ideal, em Lisboa, no Cinema Trindade, no Porto, e no Alma Shopping, em Coimbra.


por Lusa e Renascença | 12 de maio de 2021
Notícia no âmbito da parceria Centro Nacional de Cultura | Rádio Renascença

Agenda
Exposições

"Gyres"

Galeria Zé dos Bois 16 Set a15 Nov

Ver mais eventos
Visitas
61,328,455
>