"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Publicações

Livro reúne as maiores declarações de amor de grandes figuras da História

De Virginia Woolf a Beethoven, de Napoleão a Karl Marx. Conheça algumas das mais comoventes, eufóricas, apaixonadas e sofridas cartas de amor da História, no livro As Grandes Cartas de Amor. 

Organizada pela Guerra e Paz Editores, com coordenação de Elizabete Agostinho, a obra reúne 51 cartas que reis, romancistas e até ditadores escreveram a quem lhes roubou o coração. As Grandes Cartas de Amor estará disponível, quer na rede livreira nacional, quer no site da editora, com o apoio do grupo Cofina. 

A melhor prova de quanto podemos amar está nas cartas. São elas que nos dão lições de dignidade, nos inspiram a seguir os caminhos da paixão, da alegria e do desejo, mas também nos dão colo na hora da perda. E porque, como escreveu Fernando Pessoa, «Só as criaturas que nunca escreveram / Cartas de amor / É que são / Ridículas», a Guerra e Paz apresenta-nos agora um livro que reúne mais de cinco dezenas de cartas que ficaram na História.  

As Grandes Cartas de Amor  inclui correspondência de grandes génios da literatura, entre os quais Virginia Woolf, para o seu amado Leonard Woolf, Oscar Wilde, perdido de paixão pelo tóxico Lord Alfred Douglas, e Fernando Pessoa, eternamente refém da sua Ofélia Queiroz, mas também de notáveis de áreas tão distintas quanto Wolfgang Amadeus Mozart, rendido a Constance Weber, Nietzsche, magoado por Cosima Wagner, ou Benjamin Franklin, e o seu amor platónico com Madame Brillon.  

Entre os monarcas, suspiram de amor Henrique VIII, que se declara a Ana Bolena, Alexandre II, que escreve para Catarina Dolgorukov, ou o príncipe Alberto, que troca carícias com a rainha Vitória. E porque os ditadores também amam, esta antologia palpitante inclui ainda a correspondência de Benito Mussolini para Ida Dalser.  

Nesta obra, cabem todos os tipos de declaração: do amor sereno ao êxtase, do amor proibido ao amor não correspondido, do cortejo à rutura, da despedida à saudade. Cabem até triângulos amorosos, como o de Lord Byron, Caroline Lamb e Teresa Guiccioli.  

Às grandes figuras da História mundial, a obra junta nomes recentes e atuais da História portuguesa. Primeiro, as cartas forçadas pela prisão e pelo exílio político que Maria Barroso escreveu, nos anos do Estado Novo, a Mário Soares; depois, as cartas que o escritor e historiador António José Saraiva escreveu, em momentos distintos da sua vida, a Maria Isabel Saraiva e a Teresa Rita Lopes; a fechar, as inéditas cartas que a escritora Rita Ferro e o jornalista Fernando Correia dedicam ao Amor Eterno, esse sentimento perene que enche a nossa vida de esperança.  

As Grandes Cartas de Amor
Não-Ficção / História
192 páginas · 15x23 · 14,00 €
Guerra e Paz Editores 

Agenda
Ver mais eventos
Visitas
93,346,458