"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Exposições

"A raiz, o rosto e a alma nazarena" por Sara Leonardo

Integrada no evento Nazaré Marés de Maio 2019 (que por sua vez integra o EMD-in My Constry da Comissão Europeia), exposição em que a raiz está na Pederneira, o rosto na praia da Nazaré e a alma no Sítio da Nazaré. Ao longo do ano de 2018, Sara Leonardo procura documentar a temática sócio/religiosa da comunidade nazarena.

19 Abr a10 Mai

Palácio Real da Confraria de Nossa Senhora da Nazaré
Largo de Nossa Sra. da Nazaré, 2450-065 Nazaré

A raiz na Pederneira, o Rosto na Praia e a Alma no Sítio Nazaré – O Retrato de uma Comunidade.Durante todo o ano de 2018, dediquei-me a fotografar a comunidade da Vila da Nazaré, nos usos, costumes e tradições. Documentei a cultura do povo nazareno, marcada principalmente pela atividade da pesca e pelas contingências temporais que ela acarreta.

Hoje a freguesia da Nazaré é constituída por três núcleos habitacionais - A Pederneira, a praia da Nazaré e o Sítio da Nazaré.

Partindo desta riqueza histórico-cultural e religiosa, propus-me a documentar os três maiores eventos religiosos da Nazaré. 
A RAIZ -A procissão do Senhor dos Passos,
O ROSTO - A festa do Homem do mar, 
A ALMA -As festas da Nossa Senhora da Nazaré.

A Vila da Nazaré é constituída por três núcleos que interagem e se complementam entre si, nos vários níveis tanto cultural como religioso: A Pederneira, a praia da Nazaré e o Sítio da Nazaré.

A raiz da Vila da Nazaré está na Pederneira, porque é que lá que esta vila nasce. A Pederneira foi sede do município em 1514. E primeiramente a vila existia neste território, sendo chamado a vila da Pederneira.

O rosto é a praia nazarena. Porque é aqui que que a Nazaré se estabelece como vila piscatória e ultimamente como pólo importante do turismo.

Temos por fim o Sitio da Nazaré, a alma Nazarena. Reza a história, que a sua existência é anterior à fundação de Portugal, conforme as inscrições gravadas na igreja da memória. Essas inscrições descrevem-nos que uma imagem da Nossa Senhora, feita em Nazaré, da Galileia foi trazida por um monge e por Rei Visigodo e foi escondida no penhasco onde mais tarde foi encontrada pela cavaleiro D. Fuas Roupinho, ao invocar a graça da Senhora Da Nazaré, para o salvar do precipício e aí lhe foi concedido o milagre da Nossa Senhora da Nazaré.

Assim sendo propus-me a documentar os três maiores eventos religiosos da Nazaré.

A procissão do senhor dos passos, A RAIZ - Evento que data o seu início em 1618 e que traz a Nazaré desde sempre milhares de crentes onde o cortejo dos muitos anjos ricamente vestidos, por cumprimento de promessas feitas, se tornou numa tradição característica das famílias das gentes do mar, das mais abastadas às menos favorecidas.

A festa do Homem do mar, O ROSTO - é um evento dedicado às gentes do mar e aos seus santos protetores. Tem um simbolismo enorme para os habitantes da vila, visto que a Nossa senhora da Nazaré sai do Sitio da Nazaré e vai à praia para abençoar o mar e os seus habitantes. A procissão faz-se na terra e no mar, porque a Nazaré é terra e mar e porque as suas gentes são gentes da terra e gentes do mar.

As festas da Nossa Senhora da Nazaré, A ALMA -É a festa maior da Nazaré. Aqui começou o culto Mariano em Portugal. Já no reinado D. Fernando I os peregrinos se justavam ao pé da igreja da memória onde pediam os milagres e agradeciam as bênçãos recebidas. Ao longo do tempo esta devoção foi aumentando, espalhando-se pelo país, numa devoção coletiva que deu origem aos Círios assim chamados por oferecerem uma vela à santa homenageada, neste caso a Senhora da Nazaré. Este culto manteve-se bastante afamado e concorrido e prolonga-se até aos nossos dias, apesar de As Festas terem sofrido algumas alterações ao longo do tempo.
Agenda
Ver mais eventos
Visitas
67,677,201