"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Encontros

45º "WebhD" de Lisboa: Comportamentos Políticos e Medicina Regenerativa

A tolerância e o comportamento político nas sociedades europeias e, o desenvolvimento de órgãos artificiais para transplantes em humanos serão os temas à conversa no 45º PubhD de Lisboa, em versão online.

3 Jun   |  19h30

Online
Preço
Entrada livre
 
O PubhD de Lisboa reúne investigadores de doutoramento numa conversa informal, para explicarem a sua investigação em linguagem acessível e responderem a perguntas. Cada apresentação terá a duração de 10 minutos, seguida de 25 minutos para perguntas, que poderão ser colocadas através da janela de chat do YouTube.

Os oradores:

Viriato Queiroga (Comportamentos Políticos) tem como objetivo compreender de que forma as circunstâncias políticas e económicas da Europa , nomeadamente o crescimento das Extremas-Direitas e do Populismo, influenciam a tolerância dos cidadãos em 32 democracias europeias.

Além disso, pretende estudar o impacto de tendências políticas e crises económicas, de modo a contribuir para que investigadores e órgãos decisores tenham as ferramentas necessárias para combater a intolerância face a diversos grupos sociais, melhorando a qualidade de vida desses grupos.

O Viriato é investigador do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia do Instituto Universitário de Lisboa (IUL) e desenvolve o seu trabalho de doutoramento no ISCTE-IUL. Os seus interesses relacionam-se sobretudo com a participação política e a inclusão de todos os membros da sociedade.

Joana Almeida (Medicina Regenerativa) pretende criar um fígado artificial para transplantação em humanos. No seu projeto de doutoramento , na área de células estaminais e órgãos artificiais humanos, está a produzir células do fígado para serem, posteriormente, incorporadas no órgão gerado em laboratório, atribuindo-lhe função. O seu trabalho não só permitirá o transplante de fígados artificiais, como o estudo de doenças hepáticas em laboratório.

A Joana é licenciada em Biologia Celular e Molecular e, durante o seu mestrado investigou a doença do fígado gordo. O seu trabalho de doutoramento decorre agora entre o Centro de Investigación Biomédica de Aragón (CIBA) da Universidade de Zaragoza e o iBET – Instituto de Biologia Experimental e Tecnológica.

Agenda
Ver mais eventos
Visitas
52,095,949
>