"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Formação

Teatro Meridional promove Oficina de Cenografia

Esta Oficina tem como ponto de partida o texto Pinóquio de Carlo Collodi.

28 Set a2 Out

Polo II da Junta de Freguesia de Marvila
Avenida Paulo VI, Nº 60
Lisboa


Com Marco Fonseca

HORÁRIO
 2ª a 6ª Feira | 19:30 às 22:30

TOTAL: 15 horas

PÚBLICO-ALVO:
Público em geral, estudantes, professores e profissionais das artes cénicas (cenógrafos, figurinistas, aderecistas, artistas plásticos, atores e encenadores).

Nº máximo de PARTICIPANTES: 6
INVESTIMENTO: 75 euros

LOCAL: Polo II da Junta de Freguesia de Marvila, Lisboa
APOIO: Junta de Freguesia de Marvila

SINOPSE
Das entranhas de um espaço escuro, pequeno e exíguo eis que surge um sussurro, uma voz doce e curiosa que, emergindo do interior de uma mala velha, espreita através de um feixe de luz. O despertar de uma criança, outrora um brinquedo de madeira, faz-se sentir. Pinóquio está pronto para mais uma das suas aventuras... O quê e quem estará consigo no interior daquela mala? O dia amanhece e uma nova história será contada.

SOBRE ESTA OFICINA
Esta Oficina tem como ponto de partida o texto Pinóquio de Carlo Collodi. Cada formando deverá trazer uma mala de cartão antiga, um baú ou, uma caixa. Todo o universo teatral que os participantes idealizarem para esse conto, terá de caber e habitar esse objeto de cenário/adereço para contar a história.

O objetivo desta oficina é garantir que o formando crie um objeto, adereço, cenário a partir daquele universo dramático, e que exercite os conhecimentos que possui e que adquiriu relacionados com a cenografia e com o universo teatral. É fundamental para o sucesso e exequibilidade do projeto que haja um compromisso entre o que se aprende de novo e os conhecimentos já adquiridos.

No final da oficina os participantes serão convidados a fazer uma apresentação do respetivo processo criativo e entregar uma maquete desenhada em formato A4 e uma pequena memória descritiva do Projeto.

INSCRIÇÕES:
Enviar CV atualizado para producao@teatromeridional.net

MARCO FONSECA
Lamego, 1983.
Licenciado em Design de Cena pela Escola Superior de Teatro e Cinema (2005). Colaborou com José Carlos Barros, a Companhia Lama (“Homem da flor na boca e sonho, mas talvez não”, de Luigi Pirandello, encenação Marco Paiva, 2012; “A História que não queria ser livro”, criação de João de Brito, Leonor Cabral e Tiago Cadete, 2013), Companhia da Outra (Brasil), Comédias do Minho, Teatro dos Aloés, na construção de cenografia e figurinos.

Trabalha regularmente com os criadores Fernando Mota, Carla Galvão e Rui Rebelo, na realização plástica dos seus espetáculos, nomeadamente “Barlavento” (2016), “Canções Nómadas” (Fábrica das Artes/CCB, 2014/2015) e “Peixe Lua” (Culturgest, 2013). Com Carla Galvão e Crista Alfaiate concebeu a máquina de cena do espetáculo para a infância “Lá Fora” (Coprodução Centro Cultural Vila Flor e Teatro Meridional, 2014), e com Rui Rebelo e Flávia Gusmão colaborou no projeto “Pantuta” (Teatro Municipal S. Luiz, 2016).

Mais recentemente, foi responsável pela realização plástica/cenografia de “As Portas do Mar”, instalação sonora de Rui Rebelo integrada na exposição “No Fundo Portugal é Mar” na Fábrica das Artes/CCB (2018), e pela realização plástica e adereços de “Mininu”, de Fernando Mota (A Caravana, CCB, TMSL, Artemrede, 2019).

Colabora regularmente com as cenógrafas Marta Carreiras e Teresa Varela, na criação e execução dos seus cenários.

Integra desde 2006 a equipa do Teatro Meridional, na qual exerce a sua atividade profissional como Assistente de Cenografia e Técnico de Palco desde então e onde é responsável pela gestão e manutenção dos espaços de ensaio e apresentação, bem como pela coordenação dos processos de construção e montagem das atividades da Companhia, assumindo a Direção de Cena dos espetáculos.

Passatempos

Visitas
54,551,768
>