"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

A região sul e a defesa da Europa

Euro-atlantismo Guerra-fria Multilateralismo NATO Pacto de Varsóvia Relações luso-americanas

Estrategicamente, Portugal experiencia uma certa indefinição ao não se saber, ao certo, se se trata de um país mediterrânico ou atlântico. O Mediterrânio insere-se na designada “periferia sul” da NATO que se estende desde o Havai, nos E.U.A., até à Turquia. Nesse eixo, Portugal assume uma posição charneira. Se traçarmos um ponto intermédio entre a Europa e África e entre o limite oeste e o limite este da Aliança, esse ponto situar-se-á sobre Portugal. O controlo marítimo dos mares dá à Aliança grande vantagem estratégica face aos membros do Pacto de Varsóvia. Foi esta constatação que levou a NATO a apostar numa “defesa marítima avançada”, com o intuito de capitalizar a desvantagem soviética no plano marítimo. De um modo geral, o mundo joga-se no mediterrânio, ponto de convergência das crises e dos antagonismos Leste-Oeste, Norte-Sul.

Data 1988-12-15
OBS da Ponte, António Fuzeta - "A REGIÃO SUL E A DEFESA DA EUROPA" - VI CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE LISBOA A DEFESA DA EUROPA E O CONSENSO ATLÂNTICO, IEEI, 15-17 de Dezembro de 1988 págs.
Dimensão do suporte 16 págs.
Idioma Português