"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Ambiente e Natureza

Estufa Fria

Estufa Fria - Fotografia de Maria da Luz Moreira Lago na Estufa Fria
Tipo de Património
Ambiente e Natureza
Proteção Jurídica
Incluído na Zona Especial de Proteção Conjunta dos imóveis classificados da Avenida da Liberdade e área envolvente
Proprietário/Instituições responsáveis
CML / Ambiente e Espaços Verdes
Equipa Técnica
ARQUITETO: Alberto J. Pessoa (1949); Francisco Caetano Keil do Amaral (1949); Hernâni Gandra (1949); Raul Carapinha (ampliação). ESCULTOR: Leopoldo de Almeida (1966). JARDINEIRO: Sr. Manuel (séc. 20).
Descrição

A Estufa Fria, uma área superior a 1 ha, localiza-se no canto noroeste do Parque Eduardo VII, no espaço onde antigamente existiu uma pedreira.

Na primeira década do séc. XX, o Sr. Manuel, um jardineiro da Câmara Municipal de Lisboa (CML), aproveitou a antiga pedreira, voltada a Sul, para instalar vasos com plantas delicadas, que exigiam maior protecção dos ventos agrestes do Norte. Iniciou-se, desta forma, uma protecção rudimentar.

Por sua vez, em 1912, procedeu-se à 1ª inauguração, que originou a implantação, no mesmo local, de um amplo abrigo para as plantas mais sensíveis às condições climatéricas de Lisboa.

O grande impulsionador da construção da Estufa foi o Comandante Quirino da Fonseca, Vereador e Vice-Presidente da CML. Após ter sido objecto de uma grande modificação e ampliação pelas mãos de Raul Carapinha, a Estufa foi inaugurada oficialmente em 1933.

Posteriormente, em 1947, foi acrecentada uma nova ala ao corpo da Estufa, utilizada para a construção de um espaço que conheceu várias funções ao longo do tempo (inicialmente funcionou aí um teatro, mais tarde foi prevista a criação dum Museu de História Natural, e actualmente destina-se à realização de eventos culturais - feiras, exposições e festas). Nesta ala foi aberta a nova entrada.

A existência de água abundante, vinda de uma nascente, aliada à altura da parede da pedreira, permitiram a plantação e o desenvolvimento de inúmeras espécies botânicas provenientes de vários continentes ou regiões como a China, Coreia, África, Austrália, Brasil, Antilhas, Perú e México, constituindo um viveiro natural de vegetação, com exemplares classificados de raros.

Este autêntico museu vegetal é composto por quatro áreas distintas: uma zona de passeio à beira de um lago grande e três estufas, nomeadamente as Estufas Fria, Quente e Doce.

O passeio ao longo do lago grande é parcialmente efectuado a partir da Estufa Fria, apresentando no meio do lago uma ilha de grandes dimensões.

A Estufa Fria surge para proteger o crescimento da vegetação das intempéries do Inverno. Esta estufa é constituída por 181 espécies organizadas em três grandes grupos, nomeadamente: Pteridófitas (fetos e plantas afins), Gimnospérmicas e Angiospérmicas. Este último, subdivide-se, ainda, em duas classes: Dicotiledóneas e Manocotiledóneas. Por sua vez, todas estas espécies encontram-se devidamente catalogadas e distribuídas por 18 núcleos de canteiros, taludes e 11 lagos.

A Estufa Quente, situada a Norte, é envidraçada e protege as plantas que necessitam de maior calor e humidade, como é o caso das plantas tropicais.

A Estufa Doce, também situada a Norte e envidraçada, é a estufa de menores dimensões, onde se desenvolvem várias espécies de plantas carnudas ou gordas dispostas em canteiros.

Todo este espaço verde, no seu conjunto, desenvolve-se em diversos planos em declive, caracterizados por arruamentos e patamares entrecruzados, escadarias e vários elementos decorativos, nomeadamente elementos de estatuária, como "Vento Garroa", de Domingos Soares Branco, "Nu de Mulher", de Anjos Teixeira (filho), "Menina calçando a meia", de Leopoldo de Almeida, e ainda regatos, cascatas e nichos, grutas, lagos e fontes.

Flora predominante

Azálea (Rhododendron simsii Planch); Ericáceas (Rhododendron mucronatum Blume); Ananás (Ananas comusus (L.) Menrill var. variegatus (Lowe) Moldenke); Cameleira (Camelia japonica L.); Estrela de Natal, Cardeal (Euphorbia pulcherrima Willd ex Klotizeh); Rosa banksia (Rosa banksiae sit. F. "Lutea"); Clívia híbrida (Clivia x cyrtanthiflora Van Houtte Voss); Coroa-de-Cristo ou Martírio (Euphorbia milii Des Moulins var. splendens Boj. Ex. HooK Ursch et Leandri)); Peónia arbórea (Paeonia suffruticosa Haw); Feto arbóreo (Dicksonia antarctica Labill); Glicínia da China (Wisteria sinensis (Sins) Sweet); Aucuba-de-Japão (Aucuba japonica Thunb. "Concolor").

Fauna predominante
Guarda-rios (Alcedo atthis)
Animação
Exposição de antiguidades e outras actividades culturais na Estufa Fria.
Estado de Conservação
Bom
Morada
Canto noroeste do Parque Eduardo VII
1070-099
S. Sebastião da Pedreira
Fonte de informação
Centro Nacional de Cultura
Bibliografia

Bibliografia:
CAIXINHAS, Maria Lisete, Flora da Estufa Fria de Lisboa, Lisboa, Verbo, 1994.

RODRIGUES, José Armando, COSTA, José Lino, MAGALHÃES, Maria Filomena de, ANGÉLICO, Maria Manuel, Oásis Alfacinhas : Guia Ambiental de Lisboa, Lisboa, Verbo, 1998.

Data de atualização
14/10/2015
Agenda
Ver mais eventos

Passatempos

Passatempo

Ganhe convites para o documentário "À SOLTA NA INTERNET"

Em parceria com a Zero em Comportamento, oferecemos 10 convites duplos para assistir ao chocante documentário de Barbora Chalupová & Vít Klusák, que lança uma luz sobre a questão da exploração online de crianças. Habilite-se e... boa sorte! 

Passatempo

Ganha convites para a antestreia do filme "UMA PAIXÃO SIMPLES"

Em parceria com a PRIS Audiovisuais, oferecemos convites duplos para a antestreia do romance "Uma Paixão Simples" (Passion Simple) de Danielle Arbid baseado na obra de Annie Ernaux. As antestreias terão lugar no próximo dia 27 de outubro (quarta-feira), em Lisboa e Gaia. Participe e habilite-se a ser um dos felizes contemplados!  

Visitas
61,986,398
>