"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Teatro

Teatro Clube de Alpedrinha

País: Portugal
Distrito: Castelo Branco
Concelho: Fundão

Tipo de Património
Teatro
Uso atual
Sala de espetáculos
Descrição

A descentralização teatral surge por vezes em situações inesperadas. Em 1839, não seria expectável encontrar em Alpedrinha um teatro: pela época, pela estrutura urbana, pela centralização cultural sobretudo na área dos espetáculos... E no entanto, é desse mesmo ano que se estreia a primeira casa de espetáculos da região.

Pois foi em 1839 que se inaugurou em Alpedrinha o chamado Teatro do Calvário, por se situar na rua homónima, mas que seria conhecido também por Casa da Ópera, nada menos: e isto, repita-se, numa época em que a infraestrutura de espetáculos era o que se pode imaginar a nível do interior. E isto, não obstante a vila ser referida pelos grandes nomes da época, e alguns são-no ainda hoje e sempre o serão: Alpedrinha surge citada e/ou descrita por Herculano, por José Leite de Vasconcelos, por Eduardo Coelho, por Manuel Pinheiro Chagas, por Germano da Cunha, por Jaime Cortesão, por Orlando Ribeiro e por tantos mais.

Este Teatro do Calvário foi extinto em 1859 e pela mesma época é contruído um Teatro, agora denominado Valadares, que durou até 1891, ano em que um incêndio o destruiu.

Mas diz-nos Sousa Bastos, no “Diccionario do Theatro Português” que em 1893 é inaugurado um novo Teatro, agora Theatro-Club de Alpedrinha, com uma considerável capacidade arquitetónica e de espetáculo. A sala tinha, e citamos, “15 camarotes de primeira ordem, 7 de segunda ordem, 24 cadeiras, 28 lugares de superior, 80 de geral e 48 de galeria”, e era iluminado a acetilene... estamos em 1903.

E nesse sentido alinha Luciano Reis, que fornece detalhes da construção, que não deixam de ser hoje interessantes, numa perspetiva de descentralização cultural. Segundo informa, o Teatro Clube de Alpedrinha “foi mandado construir por uma sociedade constituída por 28 pessoas. As obras iniciaram-se em 7 de março de 1893 e inaugurou-se a 12 de novembro do mesmo ano, com o drama Os Dois Sargentos e a comédia O Noivo de Encomenda desempenhadas por amadores” (in “Teatros Portugueses” ed. Sete Caminhos 2005).

No que me diz respeito, referi o Teatro-Clube de Alpedrinha em “Teatros de Portugal” (ed. INAPA 2005) salientando a sobrevivência da sala em muito boas condições operacionais mas descaracterizada. E remeti para um estudo publicado em 1933, da autoria de António José Salvado Mota, intitulado “Monografia de Alpedrinha”, esse reeditado em 2004.

Finalmente: é interessante referir que o Teatro Club se concentrou, ao longo destas décadas, no apoio a grupos de amadores locais. De salientar então esta presença da arte do teatro em zonas descentralizadas, digamos assim.

É pois de assinalar a atividade deste Teatro, que se mantem até hoje. E vale a pena citar Orlando Ribeiro: “Quem fizer alto na portela de Alpedrinha, na estrada entre esta vila e o Fundão, terá debaixo dos olhos um dos contrastes geográficos mais vigorosos da terra portuguesa”. (in “Guia de Portugal” vol. III).

É caso para dizer que esse vigor da atividade cultural/teatral dura até hoje!     

Duarte Ivo Cruz

Morada
Rua Dr. Alvaro Gamboa nº 2
Alpedrinha, Castelo Branco
Telefone
275 567 150
Fonte de informação
Duarte Ivo Cruz
Data de atualização
22/06/2018
Agenda
Exposições

"Filhos de 74"

APOIARTE - Casa do Artista 12 Abr a 30 Jun 2024

Ver mais eventos

Passatempos

Passatempo

"A GRANDE VIAGEM 2: ENTREGA ESPECIAL"

Em parceria com a PRIS Audiovisuais, oferecemos convites duplos para as antestreias agendadas para 21 de abril (domingo) às 11h00, em Gaia e Lisboa. Participe e habilite-se a ser um dos felizes contemplados!

Passatempo

Ganhe convites duplos para o ciclo de cinema da ANIMar 19

Em parceria com a Solar - Galeria de Arte Cinemática, oferecemos convites duplos para as próximas sessões de cinema da ANIMar 19 no Teatro Municipal de Vila do Conde, onde serão exibidos os filmes "Pesca do Bacalhau", "Å Seile Sin Egen SJØ (Vida Costeira)", "A Extraordinária Aventura do Zéca" e "Até Amanhã, Mário".

Passatempo

Ganhe convites para a peça "A LIBERDADE É UMA MALUCA"

Em parceria com o Teatro do Bairro, oferecemos convites duplos para uma peça escrita e encenada por Hugo Mestre Amaro que, evidenciando o impacto de algumas decisões políticas e ocorrências sociais no contexto da vida privada, constitui uma sátira que intenta ser um retrato de um Portugal herdeiro, nestas últimas cinco décadas, da Revolução dos Cravos. Findo o passatempo, anunciamos aqui os nomes dos vencedores!

Visitas
90,673,771