"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Notícias

Pintora Graça Morais recebe Doutoramento Honoris Causa da UTAD

Com mais de 50 anos de vida artística, Graça Morais, é considerada uma “das grandes referências na história da arte contemporânea europeia”.

Pintora Graça Morais. Foto: Maria João Costa/RR


A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD vai atribuir o Doutoramento Honoris Causa à pintora transmontana Graça Morais. A cerimónia realiza-se dia 11 de maio e terá lugar na Aula Magna.

Manuel Heitor, ex-ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, será o padrinho da pintora agraciada, cujo percurso profissional será elogiado pela professora universitária Raquel Henriques.

Segundo o reitor da academia transmontana, Emídio Gomes, “o enorme prestígio da pintora Graça Morais e a expressão universal da sua obra justificam plenamente este título honorífico, a que se junta a sua forte ligação ao território e às gentes de Trás-os-Montes e Alto Douro”.

Graça Morais, tem mais de 50 anos de vida artística e é considerada uma “das grandes referências na história da arte contemporânea europeia”.

Na matriz da sua pintura, a identidade transmontana cruza-se com uma visão crítica e humanística do mundo. A mesma visão - que parte do local para o global - que incutimos nos nossos estudantes”, destaca o reitor.

Emídio Gomes realça ainda que “numa academia que se pauta pelos valores humanistas e que promove o pensamento crítico, só podemos esperar que os nossos estudantes se tornem cidadãos do mundo e com espírito livre”.

A pintora, de 74 anos, é natural do Vieiro, no concelho de Vila Flor onde mantém um “atelier” e será a segunda mulher a ser agraciada com o doutoramento Horonis Causa pela UTAD, depois de, em 2018, ter sido atribuído à escritora Agustina Bessa-Luís.

Graça Morais concluiu o curso superior de pintura na Escola Superior de Belas Artes do Porto (ESBAP) em 1971 e, entre os anos 1976 e 1979, viveu em Paris, como bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian, sendo membro da Academia Nacional de Belas Artes e de diversas associações, confrarias e fundações culturais.

Entre 1974 e 2019 realizou e participou em mais de uma centena de exposições individuais e coletivas em Portugal e no estrangeiro e, em 2008, foi inaugurado, em Bragança, o Centro de Arte Contemporânea Graça Morais (CACGM), da autoria do arquiteto Souto Moura.

A artista foi agraciada, em 1997, com o grau de grande oficial da Ordem do Infante D. Henrique, pelo Presidente da República Jorge Sampaio, e recebeu, em 2019, a medalha de mérito cultural das mãos da ministra da Cultura, Graça Fonseca.


por Olímpia Mairos, in Renascença | 2 de maio de  2022
Notícia no âmbito da parceria Centro Nacional de Cultura | Rádio Renascença 

Agenda
Ver mais eventos
Visitas
66,778,803