"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Festivais

O Artes à Vila está de volta!

Dulce Pontes, JP Simões e Benjamim são alguns dos músicos que atuam no palco das músicas bonitas, nos dias 25 e 26 de junho.

25 Jun a26 Jun

Mosteiro da Batalha
Largo Infante Dom Henrique, 2440-109 Batalha


O Festival Artes à Vila regressa aos espetáculos com público e os lugares são gratuitos [já esgotados], mediante a lotação das Capelas Imperfeitas do Mosteiro da Batalha, de acordo com as normas de segurança da DGS. Os concertos serão também transmitidos no website e redes sociais do festival, no dia 26 de junho.

O programa do festival está dividido em quatro partes. O primeiro espetáculo integra os concertos de Moçoilas e Remexido e inicia às 17 horas, no dia 25 de junho. As sonoridades da raiz e da terra cantadas por três mulheres que recuperam o canto do Algarve, juntam-se ao tango que veste fado e folk e que tem tiques de indie rock dos Remexido. Ainda na sexta-feira, pelas 20h00, no palco Santa Casa atuam os humoristas oVo Mau, LaBaq e Yosune, um dueto sul-americano improvável, em residência artística no Artes à Vila, e o fadista, poeta e compositor Telmo Pires, um dos poucos homens no panorama internacional do fado. No sábado, a partir das 17 horas, apresenta-se em palco o rock alternativo dos não simão e o cantor e compositor que passou pelos Pop Dell’Arte, BelleChaseHotel, e Quinteto Tati – JP Simões. A pop analógica do Benjamim encerra esta primeira parte. Depois de lançar, no final do ano passado, "Vias de Extinção", o músico apresenta-se a solo no Mosteiro da Batalha. O festival encerra com Dulce Pontes. Depois da tour pelas principais cidades europeias, a voz de Portugal volta a reunir-se com o público português no palco das músicas bonitas.

Sabe mais em www.artesavila.pt ou nas redes sociais do festival Instagram, Facebook, Youtube.
A transmissão em direto pode ser acompanhada no site do festival e na RTP PALCO


 

P R O G R A M A

  • Sexta-feira, 25 junho, às 17h00 | Capelas Imperfeitas - Palco Santa Casa
Moçoilas
Sons de outro Algarve ... os cantos do Sul, nas vozes das mulheres que regressam com a Primavera. Se da primeira vez as Moçoilas nascem de uma enorme necessidade de recuperar o canto do Algarve, esquecido ou escondido até então, no tempo...

Concerto de finaliza as visitas guiadas às gárgulas do mosteiro.

Remexido
Trio de Almada apresenta um outro lado da música portuguesa. REMEXIDO é uma voz que toca guitarra portuguesa e um coro de vozes com baterias apontadas. Orquestra em trio, munida de ambientes rock fadescos, entre a força da palavra fragmentada e a poesia liberta da pretensão.



  • Sexta-feira, 25 junho, às 20h00 | Capelas Imperfeitas - Palco Santa Casa

oVo Mau
oVo Mau faz comédia. Na verdade, Carlos Moura, Ricardo karitsis, Mário Bomba e Paulo Cintrão fazem quadros humorísticos –sketches – sejam eles escritos ou de improviso. Assim, o público pode esperar que aconteça tudo: desde a exploração de uma ideia louca, guionada e produzida, ao momento único criado naquele instante, improvisado ao vivo e a cores. No Artes à Vila não será diferente no espetáculo com público presencial.

LaBaq e Yosune
Duetos improváveis reunidos num festival que celebra a diversidade multicultural provenientes do Brasil e Venezuela. Projeto em residência artística. Oriunda do Brasil, LaBaq com o seu mais recente trabalho e Yosune compõe com seu Cuatro (instrumento tradicional Venezuelano).

Projeto em residência artística.

Telmo Pires
Telmo Pires é cantor, poeta, compositor e um dos poucos homens no panorama internacional do fado. Nascido em Bragança, cresceu na Alemanha e regressou à capital do Fado em 2011 onde gravou diversos álbuns e apresenta o ultimo trabalho “Através do Fado”.



  • Sábado, 26 junho, às 17h00 | Capelas Imperfeitas - Palco Santa Casa

Não Simão
Não Simão escrevem canções em português. Canções que se passeiam entre o intimismo e o optimismo. Afirmam-se pela negação do enfado, do prosaico, do previsível, com músicas descomprometidamente sérias, resultantes de um quinteto heterogéneo que viaja entre a música de cancioneiro, o rock alternativo, ou o jazz na voz de Simão Palmeirim.


Benjamim
Benjamim percorreu o país de norte a sul em 2015 para apresentar as músicas de "Auto Rádio" numa digressão de 33 datas. O músico editou no final de 2017 o disco “1986” em parceria com Barnaby Keen e lançou no final do ano passado "Vias de Extinção". Apresenta-se a solo no Artes à Vila.



  • Sábado, 26 junho, às 20h00 | Capelas Imperfeitas - Palco Santa Casa

JP Simões
JP Simões cantor e compositor português. É um artista que passou por projetos como Pop Dell’Arte, BelleChaseHotel e Quinteto Tati. Com uma discografia impar da música nacional traz o melhor que há na música portuguesa e na poesia.



Dulce Pontes
Dulce Pontes uma das cantoras portuguesas mais populares e reconhecidas internacionalmente. Canta canções pop, música tradicional portuguesa – fado e folclore incluído –, bem como música clássica. Costuma definir-se como uma artista da World music. É compositora, poeta, arranjadora e produtora. A sua atividade artística contribuiu para o renascimento do fado nos anos noventa do século passado. Dulce distingue-se principalmente pela sua voz, que é versátil, dramática e com uma capacidade invulgar de transmitir emoções. Concerto de encerramento.

 

Atividades Paralelas
•    Visita Guiada às gárgulas do Mosteiro
•    Exposição Almada Negreiros e o Mosteiro da Batalha
Visita guiada comentada pelo Curador_ quinze pinturas primitivas num retábulo imaginado

Sabe mais em www.artesavila.pt

Agenda
Ver mais eventos
Visitas
60,104,147
>