"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Literatura

Tese do Iscte que inspirou "Glória" da Netflix lançada em livro

A rádio RARET instalou-se em Glória do Ribatejo e difundiu propaganda pró-ocidental para os países de Leste. O acordo entre os Estados Unidos e Salazar permitiu retransmitir as emissões da Radio Free Europe durante os anos da Guerra Fria – de 1947 até à dissolução da União Soviética, em 1991. Uma tese do Iscte sobre a RARET, que vai ser lançada em livro, investigou a participação de Portugal na luta anticomunista e antissoviética promovida pelos EUA.

10 Fev   |  18h00

Auditório do Iscte
Av. das Forças Armadas, 1649-026 Lisboa
Lisboa
 
“RARET - A Guerra Fria Combatida a Partir da Charneca Ribatejana” – a tese de mestrado de Vítor Herdeiro, aluno do Iscte - Instituto Universitário de Lisboa, que serviu de inspiração para a série portuguesa “Glória”, a primeira produção nacional a ser transmitida pela Netflix –, foi adaptada a livro, publicado pela editora Edições 70, chancela do Grupo Almedina, o qual será apresentado ao público no Iscte no dia 10 de fevereiro.

A dissertação de mestrado de Vítor Herdeiro foi dedicada à emissora de rádio que, entre 1951 e 1996, emitia propaganda ocidental para os países do bloco de Leste. “Uma emissora norte-americana transmitir conteúdos radiofónicos – produzidos em Nova Iorque e em Munique – a partir de uma pequena aldeia do Ribatejo durante 45 anos, é uma história rica e empolgante!”, afirma Vítor Herdeiro, o autor da tese. “Para mim teve particular interesse investigar um tema tão pouco conhecido pelos portugueses”.

No final de 1950, Lincoln MacVeagh, embaixador dos EUA em Portugal, procurou obter o apoio de Oliveira Salazar para combater a expansão do comunismo na Europa, através da construção – em território português– de um centro de retransmissão Radio Free Europe (RFE). Esta era uma organização patrocinada pelo National Committee Free Europe (NCFE), fundado nos EUA em 1949 e financiada pela CIA e pelos dinheiros do projeto de angariação de fundos Cruzada pela Liberdade (Crusade for Freedom), criado por esta agência norte-americana.

Cinco meses depois do primeiro encontro entre MacVeagh e Salazar, foi constituída a Sociedade Anónima de Rádio Retransmissão (RARET), no dia 10 abril de 1951. A RARET instalou-se em Glória do Ribatejo – uma antiga freguesia do concelho de Salvaterra de Magos – e serviu como meio de difusão de propaganda das democracias ocidentais, retransmitindo as emissões da RFE durante os anos da Guerra Fria – de 1947 até a dissolução da União Soviética, em 1991 – atravessando o período do Estado Novo e perdurando após a queda do Muro de Berlim.

“A RARET resultou de uma aliança luso-americana escondida aos portugueses nos primórdios da Guerra Fria”, afirma Vítor Herdeiro. “É natural que Salazar a tenha tentado omitir, uma vez que Portugal estava, desse modo, a aliar-se aos americanos na promoção da democracia de outros países o que, atendendo à época e ao regime ditatorial imposto pelo próprio era, no mínimo, contraditório.”

A tese do Iscte procurou entender e expor a relação entre as autoridades portuguesas e a RFE, assim como a participação de Portugal na luta anticomunista e antissoviética promovida pelos EUA. A tese serviu também para inspirar a produção de “Glória”, a série com o maior orçamento de sempre na história da produção nacional.

A apresentação do livro “RARET - A Guerra Fria Combatida a Partir da Charneca Ribatejana” estará a cargo de Pedro Lopes, argumentista da série “Glória”, e está marcada para dia 10 de fevereiro, às 18h, no Auditório B2.04 do Iscte.
Agenda
Ver mais eventos
Visitas
67,690,959