"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

Efemérides

Morte de Aristides Sousa Mendes

No dia 3 de abril de 1954 faleceu Aristides de Sousa Mendes, diplomata português.

Cabanas de Viriato, 19 de julho de 1885 - Lisboa, 3 de abril de 1954

Enquanto Cônsul de Portugal em Bordéus no ano da invasão de França pela Alemanha Nazi na Segunda Guerra Mundial, desafiou ordens expressas do presidente do conselho de ministros António de Oliveira Salazar, que acumulava a função de ministro dos Negócios Estrangeiros, e durante três dias e três noites concedeu vistos de entrada em Portugal a milhares de refugiados, incluindo muitos judeus, que fugiam da Alemanha, Áustria, da própria França e dos países já ocupados pelos exércitos alemães, mas também outros indivíduos de cidadania portuguesa, britânica, americana, etc. que tentavam regressar às suas pátrias.

Anos mais tarde e postumamente as ações de Aristides de Sousa Mendes foram reconhecidas e homenageadas, tendo-lhe sido atribuídos diversos títulos, nomeadamente em 1966 o título de “Justo Entre as Nações” em Jerusalém e 1986  recebeu a título póstumo o grau de Oficial da Ordem da Liberdade. Em 1988 a Assembleia da República aprovou uma lei que o reabilitou e reintegrou na carreira diplomática a título póstumo.

Reconhecida a importância de homenagear e divulgar a ação de Aristides de Sousa Mendes e de outros portugueses que apoiaram vítimas do Holocausto, bem como dar a conhecer as vítimas portuguesas do universo concentracionário nazi, foi criado o Projeto Nunca Esquecer — Programa Nacional em torno da Memória do Holocausto.

Agenda
Ver mais eventos
Visitas
61,486,156
>